PUBLICIDADE

Idosa é resgatada de apartamento onde estava há 10 dias com cadáver do filho

A mulher, de 91 anos, tem Alzheimer e não tinha noção de que o filho havia morrido

23 out 2023 - 17h37
(atualizado às 18h23)
Compartilhar
Exibir comentários
A idosa foi resgatada depois dos vizinhos estranharem o mau cheiro vindo do apartamento
A idosa foi resgatada depois dos vizinhos estranharem o mau cheiro vindo do apartamento
Foto: Reprodução/Secretaria de Desenvolvimento e Inclusão Social de Balneário Camboriú

Uma idosa de 91 anos foi resgatada, na tarde do último sábado, 21, no apartamento onde vive, em Balneário Camboriú, em Santa Catarina. A mulher estava há cerca de 10 dias convivendo com o cadáver de seu filho, de 69 anos.

Agentes do programa Abraço, promovido pela prefeitura, foram chamados ao local por vizinhos que estranharam o forte mau cheiro vindo do apartamento. Na residência, encontraram o homem morto, deitado no sofá, e já em estado de putrefação.

"Já tinham vermes e era um cheiro inimaginável", diz a secretária de Desenvolvimento e Inclusão Social do município, Christina Barichello, ao Terra.

Segundo a análise feita pelo Instituto Médico Legal (IML), o homem havia morrido entre 7 a 10 dias atrás e a causa da morte teria sido infarto. Ainda de acordo com Christina, a idosa apresentava sinais de Alzheimer e não parecia ter noção de que o filho havia morrido.

"Quando adentraram e abriram a porta, ela estava sentadinha do lado, conversando com o filho", relembra.

A secretaria acionou uma ambulância, que levou a idosa para um hospital. Ainda segundo Christina Barichello, ela estava muito fraca e desidratada.

Christina conta ainda que encontraram nos registros do município que o filho da idosa havia procurado uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) em setembro, e recebido orientações para fazer um procedimento no coração, mas não as acatou. "Ele tinha que internar. Ele estava com setenta e poucos de saturação. Isso já é quase coisa para entubar. E aí ele diz que ia em casa e voltava, mas desapareceu", conta.

A secretária de Desenvolvimento e Inclusão Social de Balneário Camboriú entrou em contato com os netos da idosa, filhos do homem que morreu. Eles, que moram em outra cidade, foram ao encontro da avó e devem decidir se ela irá para um abrigo ou não.

Segundo Christina, os filhos não tinham sentido a falta do pai, já que não se falavam há cerca de um ano.

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade