PUBLICIDADE

Chuvas deixam desabrigados em Goiás e Espírito Santo; São Paulo tem alerta de temporais

Mais de 3 mil pessoas estão desalojadas ou ilhadas em razão das enchentes

11 jan 2022 20h05
| atualizado em 12/1/2022 às 11h19
ver comentários
Publicidade

SOROCABA - As chuvas que atingem os Estados de Minas Gerais e Rio de Janeiro também causam inundações e estragos em Goiás e Espírito Santo. Mais de 3 mil pessoas estão desalojadas, desabrigadas ou ilhadas em razão das enchentes. Os dois Estados podem ser atingidos por novos temporais nas próximas horas. Em São Paulo, que já teve cidades castigadas pelas chuvas no fim de semana, a Defesa Civil emitiu alerta para chuvas intensas, com ventos e raios, até quinta-feira, 13.

Em Goiás, 16 cidades estavam em situação de emergência nesta terça-feira, 11, devido ao transbordamento de rios. Conforme a Defesa Civil, as chuvas se concentram nas regiões centro-norte e nordeste do Estado, onde centenas de pessoas estão em áreas alagadas, com acesso apenas por barcos. O número de desalojados e desabrigados ainda não foi contabilizado, mas pode passar de 1,5 mil pessoas, segundo levantamento preliminar da Defesa Civil.

Na cidade turística de Pirenópolis, o Rio das Almas transbordou nesta terça-feira, 11, e atingiu o centro histórico, alagando bares e restaurantes. Na zona rural, ruas e pontes ficaram encobertas pela cheia. A Defesa Civil emitiu nota recomendando a proibição da entrada de turistas em cachoeiras e acampamentos, devido ao risco de cabeça e tromba d'água. A prefeitura orientou os moradores a deixar as casas em áreas de risco.

Em Nova Crixás, a água invadiu as casas e a prefeitura precisou remover as famílias. Na zona rural, boiadeiros se mobilizaram às pressas para retirar o gado, preso nas enchentes. Em Cavalcante, uma casa desabou sem atingir os moradores e, no distrito de Lua Nova, uma ponte foi arrancada e levada pela correnteza. A rodovia GO-530 foi coberta pelas águas entre Araguapaz e Aruanã. Casas ficaram alagadas em Luiz Alves e na cidade de Goiás, devido à enchente do Rio Vermelho.

O governo goiano monitora a situação de uma barragem no município de Flores de Goiás, que atingiu o limite máximo devido às chuvas. Moradores mais atingidos pelas chuvas estão recebendo cestas de alimento e água potável. A secretária de Meio Ambiente, Andréa Vulcanis, precisou usar um barco para chegar às áreas onde famílias estão isoladas. "A situação aqui é bastante crítica. É impossível atravessar, a não ser que seja por embarcação", disse. Ela visitou uma comunidade quilombola onde 115 famílias estão ilhadas.

Em Petrolina de Goiás, o vereador Paulo Henrique Matias Santos (CID), de 28 anos, morreu na noite desta segunda-feira, 10, quando tentava consertar goteiras no telhado de casa durante uma chuva. Ele encostou em um fio de energia molhado e foi eletrocutado. O Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas (Cimehgo) alertou que novos temporais devem atingir a região nos dois próximos dias.

ESPÍRITO SANTO

As chuvas que atingem o Espírito Santo desde o fim de semana já deixaram 1.745 pessoas fora de casa, segundo balanço divulgado nesta terça-feira, 11, pela Defesa Civil. Do total, 1.378 estão desalojadas e 367 ficaram desabrigadas. A situação é mais difícil em Castelo, no sul do Estado, onde 818 pessoas estão fora de seus lares. O rio que corta a cidade transbordou, invadindo ruas e casas em vários bairros. A rodovia ES-165, entre Castelo e Morro Vênus, foi interditada. Na BR-482, um deslizamento cobriu a rodovia no km 97.

Com pontes e estradas danificadas ou atingidas por barreiras, as cidades de Itatiba e Guacuí decretaram estado de emergência. A circulação de trens de passageiros da Estrada de Ferro Vitória - Minas está suspensa nos dois sentidos desde segunda-feira, devido às fortes chuvas que atingem a região. Em Linhares e Colatina, famílias que moram nas regiões ribeirinhas foram orientadas a deixar as casas, depois que o Rio Doce atingiu sua cota máxima. Nesta terça, as várzeas já estavam alagadas.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu novo alerta de "grande perigo", devido ao risco de chuvas intensas, em 71 cidades do Espírito Santo.

SÃO PAULO

A Defesa Civil de São Paulo emitiu alerta para chuvas fortes, com raios e ventos, em diversas regiões do Estado entre esta terça e a quinta-feira, 13. Nas regiões de Barretos, Franca, Ribeirão Preto, Vale do Paraíba e Litoral Norte, o volume esperado é de até 130 milímetros de chuva acumulada. Cerca de 150 mm são esperados nas regiões do Vale do Ribeira e do Sudoeste paulista. O alerta inclui as regiões de Campinas, Sorocaba e Baixada Santista, além da região metropolitana de São Paulo, com volumes de chuvas de até 80 mm.

Conforme a Defesa Civil, há risco de deslizamentos, desabamentos, inundações e enchentes, além de ocorrências relacionadas a ventos e raios. No último fim de semana, um deslizamento causou a interdição completa da rodovia Rio-Santos, em Ubatuba. Nesta terça, o tráfego no local ainda fluía por meia pista. Em Campos do Jordão, um homem foi salvo após ficar soterrado em um deslizamento. Em Itu, a barragem da Represa do Braiaiá, responsável por 25% da produção de água potável distribuída à cidade, sofreu rompimento parcial.

Estadão
Publicidade
Publicidade