7 eventos ao vivo

Após ser alvo de ataques, padre Julio Lancellotti recebe telefonema de apoio do papa Francisco

Na conversa, pontífice demonstrou apoio no cuidado à população de rua: 'Façamos sempre como Jesus, estando junto dos mais pobres';

10 out 2020
18h44
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O padre Julio Lancellotti, conhecido pela atuação na Pastoral Povo da Rua da Arquidiocese de São Paulo, contou nas redes sociais que recebeu, na tarde deste sábado (10), um telefonema do papa Francisco. A intenção do pontífice era se solidarizar com as dificuldades que ele tem enfrentado. Recentemente, o padre foi atacado pelo candidato à prefeitura de São Paulo Arthur do Val, também conhecido como 'Mamãe Falei'.

O telefonema incomum - o papa costuma ligar para os cardeais - aconteceu às 14h15 deste sábado. "Sua santidade, o papa Francisco, falou comigo com toda simplicidade e proximidade, perguntando sobre a população de rua, como é nossa convivência com os irmãos de rua e quais as dificuldades que sentimos", relatou Lancellotti em comunicado.

Padre Julio Lancelotti diz estar sob risco após ataques de candidato a prefeito de São Paulo
Padre Julio Lancelotti diz estar sob risco após ataques de candidato a prefeito de São Paulo
Foto: Reprodução / Estadão

O padre afirmou, ainda, que o papa disse ter visto as fotos do atendimento realizado para a população de rua durante a pandemia e afirmou que, apesar das dificuldades, não se deve desanimar. "Façamos sempre como Jesus, estando junto dos mais pobres", disse Francisco, segundo relato de Lancellotti.

O papa Francisco pediu, então, para que ele transmitisse a todos os moradores de rua o seu amor e proximidade e, também, que todos rezem por ele.

Alvo de ameaças

O padre foi ameaçado pelo candidato a prefeito da capital Arthur do Val (Patriota) há algumas semanas. O juiz Emílio Migliano Neto, da 2ª Zona Eleitoral de São Paulo, deferiu liminar no dia 1º determinando a suspensão de vídeos e postagens em que o candidato ataca o religioso por considerar que os posts caracterizam 'propaganda eleitoral vedada'.

Recentemente, o vigário sofreu ataque durante atendimento a moradores de rua, na região central de São Paulo. "Passou uma moto e o cara falou 'padre filho da puta que defende noia'. Depois dos ataques de alguns candidatos à Prefeitura contra mim, estou cada vez mais em risco", relatou o padre em vídeo postado numa rede social. "Se me acontecer alguma coisa, se alguém me atingir, se eu for atingido por alguém, vocês sabem de quem é a culpa, de quem cobrar. O risco que estou correndo é cada vez maior e a responsabilidade vocês sabem de quem é", completou.

Neste caso, o padre cita, indiretamente, Arthur do Val (Patriota), que tem como principal meta acabar com a Cracolândia - local conhecido por reunir grande quantidade de usuários de drogas no centro de São Paulo.

Val critica o atendimento realizado por ONGs e setores da Igreja Católica - em especial, o trabalho realizado por Lancellotti. Para ele, as políticas públicas são ineficientes e, consequentemente, responsáveis pela degradação do centro da capital. Contudo, o candidato nega qualquer tipo de incitação à violência contra o padre, a quem apelida como "cafetão da miséria".

Veja também:

Polícia investiga ação do PCC nas eleições em SP
Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade