PUBLICIDADE

God of War: Como Kratos se tornou o maior pai dos games

Com mudanças nos jogos recentes, Deus da Guerra se tornou referência como figura paterna

11 ago 2023 - 16h43
(atualizado às 16h53)
Compartilhar
Exibir comentários
Kratos se tornou um dos grandes pais dos games desde 2018
Kratos se tornou um dos grandes pais dos games desde 2018
Foto: Reprodução / SIE

Em 2005, quando God of War foi lançado pelo Santa Monica Studios, ninguém imaginava Kratos como uma figura paterna, muito pelo contrário. No entanto, hoje o personagem é considerado como uma referência no assunto.

Naquele ano, a Sony publicava o primeiro God of War e dava início a uma de suas franquias mais lucrativas. Um dos principais atrativos era Kratos, um personagem extremamente violento que tinha como missão vingar a morte da sua família, enquanto acabava de forma sanguinária com qualquer um que aparecia pelo seu caminho.

Ainda que a motivação do futuro Deus da Guerra fosse vingar a morte do próprio filho, a primeira trilogia de God of War não tinha o foco de mostrá-lo como um pai exemplar. Mas, afinal de contas, como ele se tornou o maior pai do universo gamer?

A renovação de God of War em 2018

God of War III foi lançado em 2010 e encerrou a saga de Kratos no universo grego. Apenas oito anos depois, o Santa Monica Studiu entregou um novo jogo ao público. Em God of War (2018), aconteceu uma renovação total da franquia, com mudança de câmeras, de estilo de jogabilidade e até de mundo mitológico: o jogo passou a ser ambientado em terras nórdicas.

Contudo, a principal mudança aconteceu na personalidade de Kratos. Se nos primeiros jogos o público conheceu um personagem cheio de falas de efeito - quem não se lembra de "I will have my revenge!"? -, o game de 2018 - que chegou ao PC em 2022 -  trouxe um Deus da Guerra muito mais sério, mas que conquistou uma empatia muito maior dos fãs. E um dos motivos está no enredo principal: Kratos acaba de perder sua mulher e deve criar o filho, Atreus, sozinho.

São detalhes que não tornam God of War de 2018 menos violento ou gráfico. Inclusive, o protagonista se mostra ainda muito criativo na hora de exterminar seus adversários. No entanto, os desenvolvedores deram foco na narrativa pessoal de Kratos e é possível ver um pai capaz de proteger ferozmente o filho, custe o que custar.

A mudança na personalidade é significativa e muito bem embasada pela hitória. Kratos passa a entender as consequências de suas ações e chega a esconder o passado do filho. O Deus da Guerra mostra uma grande evolução como personagem personagem, e a base desse crescimento é, justamente, o relacionamento dele com Atreus.

God of War Ragnarök

Conheça a história da saga God of War:

Em 2022, foi lançada a aguardada sequência do jogo de 2018. Se em 2018 os desenvolvedores tinham a responsabilidade de revitalizar a saga sem perder o encanto do público, em Ragnarök essa pressão já não existia mais. Ou seja, não seria necessário mergulhar tanto no passado de Kratos como Deus da Guerra grego.

Logo, o foco na relação do personagem com seu filho ficou ainda maior, com o segundo ganhando mais protagonismo. Neste sentido, Ragnarök mostrou conflitos na relação entre Kratos e Atreus, o que ajudou a humanizar ainda mais o papel paterno do Deus da Guerra, e se tornou um dos maiores sucessos da franquia.

Parte intrínseca da jornada principal do jogo é a forma que Kratos lida com as diferentes fases da paternidade, principalmente em um mundo onde a morte está à espreita. Afinal de contas, quantos pais jogando não se identificaram com a dificuldade que o protagonista encarou a rebeldia adolescente de Atreus?

God of War (2018) e God of War Ragnarök estão disponíveis para PlayStation 4 e PlayStatoin 5.

Fonte: Game On
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade