PUBLICIDADE

Como Ayrton Senna ajudou na criação do melhor game de corrida 16-bits

Super Mônaco GP II completou 30 anos; relembre o envolvimento do piloto brasileiro na produção do clássico do Mega Drive

21 jul 2022 - 10h43
(atualizado às 10h47)
Ver comentários
Publicidade
Senna em reunião com time de Super Monaco GP II na Sega
Senna em reunião com time de Super Monaco GP II na Sega
Foto: Sega / Divulgação

Há 30 anos, jogar games de Fórmula 1 era uma experiência completamente diferente das simulações super realistas de hoje em dia. Em 1992, o cenário era composto por games simples, limitados ou que jogavam o realismo fora em nome da diversão pela diversão. Essa realidade mudou graças a um jogo e um piloto lendários: Ayrton Senna 's Super Monaco GP II, para Mega Drive.

No aniversário do game de corrida considerado por muitos o melhor do gênero nos consoles 16-bits, o Game On relembra o envolvimento de Senna no desenvolvimento de Super Monaco GP II. Confira!

Do Brasil para o mundo

Ayrton Senna ergue troféu do Sonic
Ayrton Senna ergue troféu do Sonic
Foto: Sega / Reprodução

Ao contrário da realidade de 2022, em 1991, o Brasil tinha uma participação e tanto na Fórmula 1, sobretudo graças ao protagonismo do ídolo Ayrton Senna, que vivia o auge de sua mítica carreira nas pistas. Entretanto, diferente do que ocorre hoje, o país não tinha nenhuma participação na produção de videogames. Quem mudou esse cenário foi a TecToy, na época, representante oficial da Sega no Brasil, primeiro com um jogo licenciado da Turma da Mônica, e posteriormente com uma ideia que soou absurda à princípio: propor um jogo de Fórmula 1 com Ayrton Senna. 

Na época, propostas de jogos partiam ou do escritório da Sega of America, nos Estados Unidos, ou das equipes de desenvolvimento que trabalhavam na matriz japonesa, ainda assim, os executivos da TecToy tiveram a ousadia de apresentar o projeto diretamente à Sega do Japão, que surpreendentemente aceitou no ato. Dois fatores foram preponderantes para isso: a grande idolatria dos japoneses pelo tricampeão brasileiro e uma feliz coincidência, o fato do vice-presidente executivo da Sega do Japão, ter conhecido pessoalmente Ayrton Senna quando trabalhou na Honda, fornecedora dos motores da equipe McLaren, a qual o brasileiro ganhou seus títulos. 

O acordo entre TecToy e Sega para o desenvolvimento do jogo foi fechado em março de 1991, mas ainda faltava o endosso de Ayrton Senna, que veio em outubro, na véspera do Grande Prêmio do Japão, que ele venceu e sagrou-se tricampeão mundial. Foi aqui que a história do game mudou pra valer.  

O fator Senna

Diferente da maioria das estrelas esportivas que costumam apenas ceder sua imagem e nome para produtos licenciados, Ayrton Senna contribuiu ativamente para que Super Monaco GP II se tornasse um clássico dos videogames. A Sega aproveitou a base e destacou a mesma equipe que trabalhou no primeiro game Monaco GP, que fez bom trabalho ao contornar as limitações técnicas do Mega Drive. Porém, muito além de melhorias gráficas típicas de continuações, Senna prestou uma verdadeira consultoria, orientando os desenvolvedores da Sega sobre os detalhes finos de uma corrida de Fórmula 1, como a troca de marchas, reações dos carros (como pegar o vácuo de um carro à frente, por exemplo), usar as zebras para virar curvas, etc. Mais que evolução em gráficos e sons, Senna ensinou os desenvolvedores da Senna sobre a importância da experiência de corrida.

O envolvimento de Senna com Super Monaco GP foi tal que o piloto se comprometeu a gravar depoimentos em áudio sobre as 16 pistas presentes no game, porém uma delas, a da Espanha, era nova na temporada de 1991, e por nunca ter corrido nela, Senna se recusou a gravar. Por conta do prazo de desenvolvimento, a equipe da Sega insistiu sem sucesso para que Senna gravasse então um depoimento genérico.

O piloto então resolveu o problema de outra maneira: Senna disputou o Grande Prêmio da Espanha, e logo após o término da corrida (Senna terminou em 5 lugar, Nigel Mansell venceu a prova), gravou suas impressões e enviou a fita para o escritório da Sega no Japão. Apesar de todo o esforço, a pouca memória do cartucho não permitiu que os áudios fossem implementados, restando apenas curtos clipes com a voz de Senna.

Ayrton Senna em Super Monaco GP II
Ayrton Senna em Super Monaco GP II
Foto: Super Monaco GP II / Reprodução

Ainda assim, a Sega incluiu um modo "Senna GP" com três pistas exclusivas, todas desenhadas por Ayrton Senna, incluindo uma baseada na pista de Kart que o piloto possuía em Tatuí, SP.

30 anos de saudade

ON.GG: Bastidores da produção do game Senna Sempre:

Em julho de 1992 a Sega lançou Ayrton Senna 's Super Monaco GP II para o Mega Drive. O jogo, que também contou com conversões para com versões para Master System e Game Gear, foi um grande sucesso de público e crítica. Como não poderia deixar de ser, as revistas de videogame mais conhecidas da época - Ação Games, Super Game e VideoGame - todas deram grande destaque ao jogo, que também contou com uma grande campanha de marketing da Tec Toy.

Durante a geração 16-bits, o rival Super Nintendo recebeu alguns títulos imitando o gameplay de Super Monaco GP II (o game de Nigel Mansell foi o mais famoso), mas nenhum conseguiu bater o brilhantismo do clássico da Sega.

Uma pena que a morte trágica e precoce de Ayrton Senna não tenha permitido que pudéssemos ter um "Ayrton Senna’s Super Monaco GP III", fosse para o Mega Drive ou mesmo para o Sega Saturn. Pelo menos, a memória e a saudade do tricampeão podem ser vividos graças a atualização "Senna Sempre" de Horizon Chase Turbo, disponível para PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch e PC.

Fonte: Game On
Publicidade
Publicidade