PUBLICIDADE

Jogadora chilena de Valorant conquista fãs brasileiros

"Quero ganhar todos os campeonatos que restam este ano", diz Paula "bstrdd" Naguil

9 jul 2021 16h42
| atualizado às 17h04
ver comentários
Publicidade
Paula 'bstrdd' Naguil
Paula 'bstrdd' Naguil
Foto: bstrdd / Divulgação

Dotada de uma mira impecável e de jogadas brilhantes, a chilena de 21 anos Paula "bstrdd" Naguil é uma das estrelas da Gamelanders Purple, equipe brasileira que desponta como uma das melhores do cenário competitivo de Valorant, jogo de tiro da Riot Games, a mesma do popular League of Legends.

Paula é a "Duelista" do time: sua função é abrir os espaços do mapa, garantir o maior número de abates para a sua equipe e consequentemente, sustentar a vantagem numérica rumo à vitória na rodada.

Em busca de oportunidades

Veterana de jogos de tiro em sua terra natal, Paula competia em torneios de CS:GO e fez parte da primeira leva de jogadores profissionais a migrar do clássico FPS para as arenas de Valorant em 2020. Junto de Ana Beatriz "naxy", Paola “drn”, Natália “daiki” e Natália “nat1”, já disputou 15 campeonatos só no primeiro semestre deste ano. A Gamelanders Purple saiu campeã em 9 deles.

Paula conta que a vitória mais impactante foi na VCT Game Changers, torneio promovido pela Riot com os 8 melhores times femininos de Valorant. Ela foi eleita a "MVP", a melhor jogadora, daquela competição.

E mesmo com a superioridade de sua equipe até aqui, Paula reconhece a força das outras competidoras: "Para mim, a Havan Liberty, Vivo Keyd e Stars Horizon são muito fortes, sempre foi difícil jogar contra elas".

 

 

Paula continua morando no Chile, e é acompanhada por seus conterrâneos: "Tenho muitos seguidores do Chile que me seguem desde quando fazia streams pela Twitch, e sempre recebo mensagens de que estão orgulhosos de mim e isso claramente me deixa feliz". 

Porém, para seguir a carreira de pro player, ela decidiu competir no Brasil: "Estou competindo no Brasil porque aqui tenho mais oportunidades no cenário feminino do que na minha região", conta a jogadora.

Aprendizado constante

 

 

Jogar em um time estrangeiro, mesmo que tão próximo de casa, tem seus desafios e a barreira linguística é um deles. Valorant, como outros esports, exige comunicação constante da equipe. Paula conta que treinar com o time é um aprendizado diário.

"É uma experiência incrível para mim, estamos no nosso melhor e espero que continue assim. Às vezes digo algumas palavras em espanhol para que elas entendam, mas a verdade é que elas sempre me ajudam com o português, ou seja, aprendo ao falar a língua delas o dia todo".

Paula espera que seu time se mantenha dominante no jogo: "Quero ganhar todos os campeonatos que restam este ano", diz a determinada jogadora chilena que conquistou os fãs de Valorant no Brasil com suas habilidades de duelista.

Ela também deixa um conselho para outras jogadoras que se inspiram em sua equipe e nos outros times femininos de Valorant e sonham em se tornar pro players: "Continuem tentando, se dediquem para que tudo saia como esperam, a dedicação neste jogo é o mais importante".

Gratuito para jogar, Valorant está disponível para PC.

Fonte: Game On
Publicidade
Publicidade