PUBLICIDADE

Jogos com crianças protagonistas para inspirar futuros heróis

Confira games estrelados por pequenos heróis para curtir no Dia das Crianças!

8 out 2021 08h00
| atualizado às 10h22
ver comentários
Publicidade
Foto: Reprodução

Muitos jogos possuem os mais diversos protagonistas, sejam eles os famigerados homens barbudos e bombados, como Kratos, ou mulheres duronas e fortes, como Jill Valentine. Apesar de muitos estereótipos, esses não são os únicos personagens vistos nos nossos queridos jogos; em outros títulos, também temos crianças como protagonistas!

Elas fazem a nossa diversão em diversos jogos e mostram que não precisa de idade ou tamanho pra ser um herói. Se você leitor for criança — ou até mesmo pré-adolescente — inspire-se na história desses joguinhos! E você que for adulto, mostre a uma criança o quão ela pode ser fantástica, conforme os seguintes títulos:

The Legend Of Zelda (1986)

Foto: Nintendo

Em nosso primeiro exemplo, vamos ao primeiro título da saga The Legend Of Zelda, jogo de 1986 que introduziu o universo de Hyrule ao mundo da Nintendo. Sem nenhuma surpresa, Link é o protagonista da saga, e o moço, nesse jogo, tinha 12 anos!

Este herói deve desbravar uma grande aventura contra inimigos mais simples, bem como contra o grande Ganondorf, um chefe que acompanha algumas das sagas do herói.

Ele ainda tem a missão de resgatar a Princesa Zelda! Nada impossível, pois Link, com seus apenas 12 anos, sempre se mostrou bastante inteligente, corajoso e destemido, um herói como nenhum outro.

Pokémon (1996 — presente)

Foto: Nintendo

A saga de jogos Pokémon é outro exemplo, só que um pouco mais vasto, de crianças como protagonistas. Neste caso, em cada jogo da saga vemos que o protagonista é uma criança. Seja pelo seu primeiro título, Pokémon Red/Green (1996) ou alguns dos mais recentes, como o Pokémon Legends: Arceus, que será lançado oficialmente em janeiro de 2022.

Entre os protagonistas, temos uma certa variação entre meninos e meninas que são bastante aventureiros! Até porque, pra ser um treinador Pokémon, é necessário enfrentar vários climas, monstros silvestres e, claro, outros treinadores Pokémon!

Limbo (2010)

Foto: Limbo

Agora, num título muito menos colorido ou animado, o jogo Limbo traz a história de um garoto, até então sem identidade, que está em busca de sua irmã desaparecida. Este, que é um jogo de quebra-cabeças e aventura, traz o conceito de “experiência por morte”, em que você deve enfrentar várias armadilhas e momentos pelo qual você acaba morrendo e volta no último ponto de reinício pra poder tentar passar novamente por aquele obstáculo.

O ambiente e o cenário são todos baseados em cores pretas, brancas e cinzas, sem falar em sua trilha sonora que também é meio “monocromática”, oferecendo um jogo que é bastante minimalista. Apesar de não parecer ser um jogo para crianças, é interessante evidenciar que, mesmo num ambiente escuro, crianças também podem ser bastante corajosas.

Undertale (2015)

Foto: Undertale

Undertale também é um dos jogos com crianças como protagonistas! O RPG traz Frisk, uma criança que não possui gênero definido — ou seja, agênero —, que caiu numa caverna que leva a cidades e outras localidades cheia de monstros e, ao encontrá-los, fica à decisão do jogador se vai lutar e matar a criatura, ou se vai conversar com ela para apaziguar a situação.

O jogo é completamente definido com base nas escolhas do jogador, podendo criar uma campanha muito violenta, pacífica ou meio a meio. Acredito que Frisk, assim como qualquer outra criança que tem o coração puro, escolheria o caminho da paz ao encontrar com os monstros.

Kingdom Hearts (2002)

Foto: Kingdom Hearts

A criança protagonista de Kindgom Hearts é Sora, um garoto que, em sua primeira aparição, tinha 4 anos e que vive numa ilha com seus outros dois amigos. Após dez anos, eles decidem sair dessa ilha, mas são impedidos por seres do mal.

O jogo reúne o melhor dos personagens da Disney, tais como o próprio Mickey, Pato Donald, Hércules, Elza e muitos outros. A lição em Kingdom Hearts, definitivamente, é sobre o quanto crianças devem criar e cultivar o amor e fraternidade para com seus colegas e amigos. Lembrando que a saga pode ser jogada exclusivamente em videogames da Nintendo.

The Walking Dead Series (2019)

Foto: Telltale

Os jogos de narrativa conhecidos como The Walking Dead Series, narram eventos semelhantes aos da série e história em quadrinhos homônima, ou seja, de pessoas que estão tentando sobreviver em meio a um apocalipse zumbi.

Voltando ao foco da matéria, a criança protagonista da vez é Clementine, uma garota extremamente corajosa, que enfrenta hordas de zumbis, bem como as consequências de um apocalipse, inclusive nos humanos.

Ela, que desde muito nova tem de lidar com isso, cresceu de forma intensa e teve de aprender a se esconder, matar e sobreviver a qualquer custo. Em certa parte da saga, Clementine começa a cuidar de outra criança menor, lembrando-se de quando foi resgatada e salva por um homem. Clementine é um grande exemplo de superação e determinação.

Mega Man (1987)

Foto: Mega Man

Indo para uma pegada mais tecnológica, temos o famoso Mega Man! O menino robô se aventura por diversos mundos e seus games podem ser jogados através de várias plataformas, como os videogames da Nintendo, PlayStation e computador.

Mega Man é um robô, mais semelhante a um androide (por possuir algumas partes humanas, que também são robóticas) e possui um companheiro cachorro robô e uma “irmã” chamada Roll. Apesar de ter sua idade revelada como “15 anos de inteligência artificial”, Mega Man — e em títulos mais populares também conhecido como X — possui aparência infantil, e é tão inocente como uma criança.

Ele foi criado com finalidade trabalhista, mas vendo desonestidade e injustiças pelo mundo, pediu a seu criador, Dr. Thomas Light, que fosse transformado num robô de batalha, para poder, então, enfrentar essas e várias outras adversidades.

Spyro (1998)

Foto: Spyro

Trazendo nossa lista para um mundo de fantasia, chegou a vez do dragãozinho roxo, Spyro the Dragon. O jogo que, fez muito sucesso entre os jogadores de PlayStation 1, conta a história do dragão Spyro, que escapou da chegada de Gnasty Gnorc, um ogro que transformou todos os dragões locais em cristais, bem como tomou de conta do reino dos dragões.

Spyro, por ser criança — na época do primeiro jogo, ele possuía 7 anos — acabou passando despercebido pelo vilão e tivera a missão de recuperar seu reino, bem como salvar sua família e amigos. Mais um título que evidencia toda a bravura e inteligência que as crianças possuem!

Goof Troop (1993)

Foto: Goof Troop

Por último, mas definitivamente não menos importante, temos um jogo cooperativo de muita relevância, Goof Troop — ou como conhecemos por aqui, o famoso Pateta e Max, de Super Nintendo. Nele, apesar de ter Pateta como um dos protagonistas, temos também seu filho, Max, de 11 anos, que tem a ajuda de seu pai para conseguir desvendar os quebra-cabeças de cada cenário.

Cada um tem uma característica específica, sendo Pateta mais forte e lento, bem como Max mais fraco, porém mais veloz, conseguindo escapar de armadilhas com mais facilidade. Max, a criança protagonista da vez, mostra o quão sadio e divertido pode ser a companhia de seu pai, apesar das adversidades que podem ser exibidas no decorrer da vida.

Fonte: Game On
Publicidade
Publicidade