0

Jogadores sugerem parar Superliga por escândalo da CBV

11 dez 2014
16h35
atualizado em 16/12/2014 às 10h31
  • separator
  • comentários

Afetados diretamente pelos escândalos da Confederação Brasileira de Vôlei (CBV), especialmente durante o mandato de Ary Graça, estrelas da Seleção masculina protestaram nesta quinta-feira no Twitter e sugeriram até uma paralisação da Superliga como uma reação às informações reveladas.

<p>Murilo e seu irmão Gustavo mostraram revolta no Twitter</p>
Murilo e seu irmão Gustavo mostraram revolta no Twitter
Foto: FIVB / Divulgação

De acordo com denúncia e informações publicadas no site da ESPN, com base em um relatório da Controladoria Geral da União (CGU), os atletas foram diretamente lesados pela entidade, que não pagou integralmente o bônus de performance aos seus funcionários em 2012/13.

O mesmo ocorreu no vôlei de praia, onde o dinheiro recebido pela confederação do Banco do Brasil, patrocinador do Circuito Banco do Brasil do esporte, não foi distribuído corretamente aos competidores.

Os irmãos Murilo e Gustavo Endres foram os mais enfáticos ao protestarem na rede social. Confira a seguir tuítes dos atletas, a começar por um pedido de Murilo que não foi ouvido pela CBV:

Ao contrário do que cobrou o ponta da Seleção, a Confederação soltou uma nota oficial prestando esclarecimentos sobre o material divulgado. Segundo a entidade, a nova administração tomou medidas para corrigir erros da gestão anterior.

"Mesmo antes do relatório final, a nova gestão tomou providências visando implantar uma governança responsável e, acima de tudo, ética. Entre as medidas sugeridas pela CGU no relatório final já havia contratado auditoria para analisar os exercícios anteriores, cancelando contratos que possuíam vícios éticos, abrindo as contas e disponibilizando documentos para as entidades de fiscalização, sem restrição nenhuma. Desde abril de 2014 publica mensalmente balancetes em seu sítio eletrônico, tem um modelo de governança desenvolvido pela Fundação Getúlio Vargas, já reestruturou o quadro administrativo, criou medidas de aprimoramento na seleção de fornecedores e implantou uma auditoria interna permanente", diz parte do texto.

Quem também falou foi o levantador Bruninho, filho de Bernardinho, que compartilhou na rede social o link da notícia com as novas denúncias.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade