PUBLICIDADE

CBV divulga data de início das Superligas de Vôlei da temporada 2018/19

4 out 2018 19h18
ver comentários
Publicidade

Consolidada como a competição mais importante do calendário nacional do vôlei, e uma das mais valorizadas no cenário internacional, a Superliga chega a 25ª edição nesta temporada 2018/2019 com uma duradoura e forte história na modalidade. Conhecida por revelar e apresentar ao mundo atletas que vieram a se tornar grandes nomes do esporte, a competição organizada pela Confederação Brasileira de Voleibol (CBV) terá novidades. A principal delas será o retorno da série de playoff nas grandes finais - melhor de três jogos no feminino e de cinco no masculino.

A Superliga Cimed 18/19 contará com 24 clubes participantes - sendo 12 em cada naipe - e a disputa já tem data para começar: dia 24 de outubro. Os times masculinos entram em quadra primeiro, e o confronto de abertura será entre Vôlei Renata (SP) e Sada Cruzeiro (MG).

A competição masculina apresentará dois estreantes que subiram através da Superliga Série B: São Francisco Saúde/Vôlei Ribeirão (SP) e Vôlei UM Itapetininga (SP), que chegam para a disputa junto com Sada Cruzeiro (MG), Sesi-SP, Sesc RJ, EMS Taubaté Funvic (SP), Fiat/Minas (MG), Vôlei Renata (SP), Corinthians-Guarulhos (SP), Caramuru Vôlei (PR), Copel Telecom Maringá Vôlei (PR) e São Judas Voleibol (SP).

Atual campeão, o capitão Filipe demonstra o orgulho em fazer parte da história da competição. "São 25 anos e poder fazer parte da Superliga desde 2000 é muito gratificante. Acompanhei uma evolução, quando a Superliga se tornou um dos campeonatos mais importantes do mundo, cheio de atletas renomados, com jogadores de outros países vindo querendo jogar aqui", destacou Filipe, que complementou:

"Fico muito feliz em participar de mais um ano, agora na temporada 2018/2019, e estamos prevendo uma competição muito equilibrada, com as equipes ainda amais reforçadas. Tenho umas passagens muito importantes na minha carreira, como em 2004/2005, o ano do título no Banespa, que foi muito marcante. Ainda fui considerado o melhor jogador da final, no Mineirinho lotado. E, claro, a minha chegada ao Sada Cruzeiro, onde estou há nove anos consecutivos, com muitas glorias. Só temos a engrandecer esse evento que é a Superliga, a cada ano se profissionalizando ainda mais. Que essa competição permaneça por muitos e longos anos

A Superliga Cimed feminina acompanha o calendário internacional e aguarda o fim do Campeonato Mundial, no dia 20 de outubro. Já com as estrelas da seleção brasileira de volta, os clubes terão partidas válidas pela competição nacional no dia 13 do mesmo mês.

O campeonato feminino também terá dois times estreantes: Balneário Camboriú (SC) e Curitiba Vôlei (PR), que também classificaram através da Superliga B. As duas equipes estarão em ação ao lado de Dentil/Praia Clube (MG), Sesc RJ, Minas Tênis Clube (MG), Osasco/Audax (SP), Hinode Barueri (SP), E.C. Pinheiros (SP), Fluminense (RJ), Sesi Vôlei Bauru (SP), São Cristóvão Saúde/São Caetano (SP) e BRB/Brasília (DF).

Capitã do time de Uberlândia (MG), Fabiana relembra o seu início no campeonato e um pouco de sua trajetória. "A Superliga é um campeonato sem igual para todos nós atletas de voleibol. Há 25 anos traz a oportunidade de jogarmos uma competição de qualidade, alto nível técnico e sucesso de público. É interessante como ao longo desses anos todos, a Superliga pode revelar talentos do nosso esporte. Eu jogo a competição desde meus 16 anos e já ganhei seis títulos, passei por equipes diferentes, joguei muitos playoffs e a vontade é a mesma depois de tantos anos. Vida longa a Superliga e que venham mais 25 anos", disse Fabiana.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade