PUBLICIDADE
Logo do Palmeiras

Palmeiras

Favoritar Time

Título do Palmeiras: Torcida quebra 'tabu' e grita 'É campeão' com a bola rolando

O Terra acompanhou a conquista do título do Palmeiras junto à torcida, nas imediações do Allianz Parque, em São Paulo

7 dez 2023 - 03h08
Compartilhar
Exibir comentários
Vale tudo? Palmeirenses revelam o que fariam para Abel ficar em 2024:

Foi às 23h37 desta quarta-feira, 6, que a razão deu lugar à emoção no coração do torcedor palmeirense que, depois de um dos Campeonatos Brasileiros com mais reviravoltas na história da competição, pode finalmente gritar: 'É campeão'. 

A partida contra o Cruzeiro no Mineirão pela 38ª - e última - rodada do Brasileirão já tinha sabor de conquista para o torcedor do Palmeiras, virtualmente campeão dada a vantagem de pontos e saldo de gols frente a concorrentes como Atlético-MG e Flamengo. Mas a palavra 'campeão' permanecia um tabu. 

Mas não teve jeito. Ainda com a bola rolando, aos 32 minutos do segundo tempo, o torcedor desistiu de se segurar e passou a celebrar, antecipadamente, o bicampeonato e a 12ª conquista do Palmeiras no Campeonato Brasileiro. 

O Terra acompanhou a última rodada do Brasileirão de 2023 junto aos torcedores no coração alviverde do bairro da Pompeia, em São Paulo, a poucos metros do Allianz Parque, estádio do Palmeiras. A pouco mais de 600 km do Mineirão, desde muito antes do apito inicial, a torcida já fazia a festa, confiante na conquista.  

Palmeirenses celebram 12º título do Verdão no Campeonato Brasileiro
Palmeirenses celebram 12º título do Verdão no Campeonato Brasileiro
Foto: Terra/Gabriel Gatto

Mar verde e branco

Desde as 17h de quarta, as imediações do Allianz Parque foram tomadas por 'mar' de torcedores trajando verde e branco. Bares, restaurantes e lanchonetes, em uma região unida pelo amor em comum pelo Palmeiras, lotados de verdeiros ansiosos, que não aguentavam mais esperar para que seus relógios marcassem 21h30. 

A certeza do título ainda contida, guardada, mas já a ponto de explodir. E, assim, cada vez mais palmeirenses se concentravam na região, embalados pelo som dos gritos, músicas e rojões.

A resenha se alternava entre a grandeza de Abel Ferreira e especulações sobre seu futuro e permanência no Palmeiras, o brilho do jovem Endrick, que deixou seu nome marcado na história da Sociedade Esportiva Palmeiras, e os tropeços do Botafogo, que viu a vantagem de 13 pontos sobre o Verdão, até então vice-líder, ruir no returno do Brasileirão. 

Final apoteótico 

Depois que o árbitro Anderson Daronco autorizou o começo da partida em Belo Horizonte, as atenções dos torcedores alviverdes se concentravam nas dezenas de televisões espalhadas por cada canto da Pompéia, com a emoção à flor da pele. Era como se o elenco de Abel Ferreira estivesse jogando ali, diante dos olhos de cada um dos milhares presentes para a festa. 

E essa emoção explodiu quando Endrick, numa roubada de bola na zaga do Cruzeiro, tenta encobrir o goleiro Rafael. O arqueiro defende, mas não resiste ao rebote mortal do camisa 9. 1 a 0 para o Palmeiras aos 27 minutos do primeiro tempo e uma festa que pôs abaixo o bairro paulistano.

E foi assim que, aos 72 minutos de jogo, o torcedor finalmente celebrou a 12ª conquista do Campeonato Brasileiro. Nem o gol de empate para o Cruzeiro, aos pés de Nikão, pouco tempo depois, serviu para apaziguar os ânimos palmeirenses. 

Sem acréscimos e, para alívio da torcida, Daronco encerrou o jogo pouco após os 90 minutos, consagrando assim uma conquista disputada e vencida, com mérito, pelo Palmeiras. Ali, o mar de gente vestida de alviverde, no coração da Pompeia, vivia uma só emoção: um misto de alívio e reconciliação pelo título perdido em 2009 e o amor pelo time multicampeão, que coroou o trabalho de três anos do técnico Abel Ferreira. 

Alviverde imponente! Confira os personagens de mais um título brasileiro do Palmeiras Alviverde imponente! Confira os personagens de mais um título brasileiro do Palmeiras

Fonte: Redação Terra
Compartilhar
Publicidade
Publicidade