PUBLICIDADE
Logo do Palmeiras

Palmeiras

Favoritar Time

Palmeiras: Allianz Parque tem fotos de troca do gramado vazadas; veja imagens

Clube manda jogos em Barueri enquanto sua arena passa por manutenção; empresa afirma não ter prazo para finalização

16 fev 2024 - 18h19
(atualizado às 18h36)
Compartilhar
Exibir comentários

O gramado do Allianz Parque passa por uma manutenção e troca do material que compõe a grama sintética. Imagens do vazaram nas redes sociais e mostram o estádio do Palmeiras praticamente sem campo. O estágio do processo chamou a atenção de torcedores. A WTorre, empresa responsável pela administração do estádio, afirma que não há um prazo para finalização da troca, feita pela Soccer Grass.

O último jogo do Palmeiras no Allianz Parque foi contra o Santos, em 28 de janeiro. Pouco depois da partida, o clube comunicou que não jogaria mais no estádio até que o gramado fosse reparado. As condições ruins do campo foram o motivo apontado para uma lesão do meia Giuliano, do Santos. Bruno Rodrigues, atacante do time, já havia se lesionado pela mesma razão, contra a Inter de Limeira.

A WTorre informou ao Estadão que não há um prazo determinado para completar o procedimento de troca o termoplástico, material que superaquece e causa problemas no campo. Os trabalhos começaram na semana passada. A Soccer Grass, responsável pela instalação e manutenção, também instalou a grama da Academia de Futebol. Devido ao descontentamento com a situação, o Palmeiras rompeu o contrato comercial com a empresa referente ao CT.

Descontentamento palmeirense escalou até mudança para Barueri

O Palmeiras já havia comunicado à Soccer Grass sobre a piora da qualidade dos campos do Allianz Parque. O clube entendeu que houve demora nas ações de reparo, o que causou prejuízo e levou o time para atuar longe de casa. Abel Ferreira, técnico da equipe, nunca escondeu a insatisfação com o campo, especialmente após shows realizados na Arena, como quando miçangas ficaram espalhadas pela grama depois dos shows da cantora Taylor Swift, em novembro do ano passado.

A Federação Paulista de Futebol (FPF) interditou o estádio para o Estadual, mas já depois de anunciada a decisão palmeirense. A vitória contra o Ituano, por 2 a 0, na sexta rodada do Campeonato Paulista, foi lá, assim como será o clássico contra o Corinthians, no domingo, dia 18, pela décima rodada.

Fora de campo, há outras brigas do Palmeiras com a WTorre. O clube aponta que são devidos R$ 160 milhões pela empresa por repasses de ganhos com o Allianz Parque. Os valores são correspondentes ao mês de maio de 2015 e todos os meses a partir de julho de 2015 até agora. Na época em que a presidente do Palmeiras, Leila Pereira, apontou o valor ainda de R$ 150 milhões, a construtora reconheceu o débito, mas contestou o valor que está sendo cobrado.

Agora, a Real Arenas/WTorre afirma não ter sido notificada oficialmente sobre a cobrança de R$ 160 milhões. Em junho de 2023, a Justiça de São Paulo já suspendeu uma execução solicitada pelo Palmeiras contra a WTorre, também cobrando uma quantia milionária.

Novos negócios da WTorre com clubes paulistas

Outros dois clubes grandes de São Paulo têm negócios recentes com a empresa. O Santos tem acordo para a WTorre construir um novo estádio na Vila Belmiro. O projeto estava em fase final de aprovação. Já o São Paulo assinou uma reforma e modernização do MorumBis, prevista para ser finalizada em 2030.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Publicidade