PUBLICIDADE

KTM vê vontade de Pedrosa de correr como "enorme elogio à equipe e à moto"

Pit Beirer contou que, quanto melhor ficava a RC16, mais frequente era a conversa sobre correr. Dirigente destacou a importância do espanhol no desenvolvimento da KTM na MotoGP

4 ago 2021 10h53
ver comentários
Publicidade
Dani Pedrosa vai voltar ao grid da MotoGP como wildcard da KTM no GP da Estíria
Dani Pedrosa vai voltar ao grid da MotoGP como wildcard da KTM no GP da Estíria
Foto: KTM / Grande Prêmio

APRILIA MOSTRA EVOLUÇÃO EM 2021, MAS VIVE DE BRILHOS COM ALEIX ESPARGARÓ | GP ÀS 10

A KTM enxerga o desejo de Dani Pedrosa de voltar a correr na MotoGP como um elogio não só a equipe, mas também a moto. O espanhol vai voltar à classe rainha do Mundial de Motovelocidade neste fim de semana, para disputar o GP da Estíria como wild-card.

Lenda da MotoGP, Dani tem no currículo 13 temporada na categoria principal do Mundial, mas sempre correndo com a Honda, mesma marca que defendeu nas 250cc e também nas 125cc. Depois de se aposentar no fim de 2018, o espanhol de Sabadell foi contratado para atuar como piloto de testes da KTM e tem sido uma peça-chave no desenvolvimento da RC16.

WEB STORY

Dani Pedrosa vai correr na MotoGP pela primeira vez desde o GP da Comunidade Valenciana de 2018 (Foto: Divulgação/MotoGP)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Aos 35 anos, Pedrosa decidiu voltar ao grid da MotoGP como convidado na retomada do campeonato após a pausa para as férias. Diretor da divisão esportiva da KTM, Pit Beirer contou que esse retorno passou a ser um tema mais frequente conforme a moto ia evoluindo.

"Durante os testes, reparamos que quanto melhor a moto ficava, mais frequentemente falávamos de correr", disse Beirer à versão alemã da Autosport. "Ele está sempre trabalhando na moto para a próxima temporada. E aí ele disse que gostaria de correr outra vez se a moto fosse certa para ele. Uma corrida é, também, um teste final para nós", comentou.

Beirer destacou a facilidade de comunicação entre Dani e os engenheiros e exaltou o fato de que o espanhol sabe desenvolver uma moto para ser guiada pelos jovens titulares da equipe.

"Está mais do que provado que Dani estabeleceu uma comunicação muito boa com os engenheiros em relação a forma como a moto deveria ser desenvolvida. Afinal, não estamos desenvolvendo uma moto para Dani Pedrosa", afirmou. "O trabalho dele é desenvolver uma motocicleta para os pilotos jovens. Ele pensa e analisa como eles pilotam", contou.

"Dani é um piloto de testes de uma qualidade incrível para nós, pois ele não pensa no tempo de volta dele o tempo todo", apontou.

Por fim, Beirer considerou que o fato de o dono de 112 pódios e 31 vitórias na MotoGP querer voltar à ativa é um elogio para a casa de Mattighofen.

"Algo empolgante aconteceu neste caminho. Ele, de repente, sentiu vontade de correr", relatou. "Aos meus olhos, isso em si é um enorme elogio, tanto à equipe quanto à moto", ponderou.

"Dani se sente pronto. A moto é competitiva. Uma corrida é sempre a melhor oportunidade para compararmos", frisou.

De acordo com os austríacos, a RC16 que será utilizada por Pedrosa será "85%" igual as motos que são usadas por Miguel Oliveira e Brad Binder, mas terá algumas mudanças no chassi e na suspensão.

A MotoGP volta à ativa neste fim de semana após cinco semanas de férias. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do GP da Estíria, décima etapa do Mundial de Motovelocidade 2021.

HONDA FAZ 2021 SEM BRILHO E REAFIRMA MÁRQUEZ-DEPENDÊNCIA | GP ÀS 10

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade