PUBLICIDADE

García segura Masià e vence GP de Portugal de Moto3. Moreira é décimo

Sergio García saiu da sexta posição para finalizar a prova em primeiro lugar. O espanhol passa Dennis Foggia e assume a liderança do campeonato de Moto3

24 abr 2022 08h07
| atualizado às 08h43
ver comentários
Publicidade
García vence em Portugal
García vence em Portugal
Foto: Aspar / Grande Prêmio

EUROPA X JAPÃO NA MOTOGP: CHEGOU A HORA DA REAÇÃO DAS GIGANTES YAMAHA, HONDA E SUZUKI?

Cheia de ultrapassagens e tomadas de posição, os pilotos da Moto3 tiveram pista seca na corrida deste domingo (24), em Portugal. Quem levou a melhor foi Sergio García, que largou da sexta posição para cruzar a linha de chegada em primeiro lugar — depois de muita pressão, vale dizer. E não só isso: sai do Algarve como líder do campeonato.

Jaume Masià veio atrás e fez excelente prova. Ele largou da 15ª posição para terminar em segundo e ficou bem próximo do vencedor, só 0s069. Quem fechou as três primeiras posições foi Ayumu Sasaki, depois de também ter liderado por um bom tempo.

ASSISTA

García assumiu a liderança do campeonato da Moto3 ao vencer em Portugal (Foto: Aspar)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Deniz Öncü, pole da prova, e Izán Guevara ficaram com a quarta e quinta posições, respectivamente. Carlos Tatay, Andrea Migno e Dennis Foggia, que perdeu a liderança do campeonato para García, ficou em oitavo. Joel Kelso garantiu a nona posição.

Diogo Moreira acabou sendo punido após a prova por ultrapassar os limites de pista e terminou em décimo lugar, depois de perder duas posições. Ele largou da 14ª colocação.

Com o resultado, García agora soma 83 pontos na liderança do Mundial, um a mais do que Foggia. Masià tem o terceiro posto, diante de Migno. Oncü aparece em quinto, escoltado por Guevara, Sasaki, Tatay, Rossi e Kaito Toba.

A Moto3 volta às pistas na semana que vem para o GP da Espanha, em Jerez de la Frontera. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades da sexta etapa do Mundial de Motovelocidade 2022.

Saiba como foi o GP de Portugal de Moto3:

O domingo amanheceu parcialmente nublado no Algarve, mas com as temperaturas mais altas do fim de semana. Quando a Moto3 alinhou no grid, os termômetros mediam 18°C, com o asfalto chegando a 25°C. A umidade relativa do ar estava na casa dos 69%, com o vento soprando a 10 km/h.

Nesta quinta etapa da temporada, quase todos os pilotos escolheram o pneu dianteiro M3, exceto Carlos Tatay, Diogo Moreira, Ryusei Yamanaka e Xavier Artigas, que foram com o H3. Na traseira, a maioria optpu pelo H4, exceto Elia Bertolini, David Alonso e Taiyo Furusato, que calçaram o S2.

Na hora da largada da Moto3 em Portugal, Deniz Öncü sustentou a ponta, com Sergio García pulando pata segundo, diante de Mario Aji, Tatay e Izán Guevara. Moreira avançou para 12º ainda nos primeiros metros.

Ainda na primeira volta, Öncü e García foram tentando quebrar o pelotão, abrindo mais de 0s6 de margem para o terceiro colocado. Antes de fechar a volta, Sergio passou Deniz para assumir a ponta.

Na reta, Aji perdeu o terceiro posto, indo parar atrás de Guevara, Fellon e Tatay. Diogo também vinha escalando e tinha conseguido subir para décimo.

Uma vez na liderança, foi García quem tratou de se afastar do pelotão. Na segunda volta em Portimão, o piloto da Aspar já tinha 0s670 de margem para Öncü, que foi atacado por Guevara e perdeu a segunda colocação pouco depois.

O piloto da Tech3, porém, não se deu por vencido e deu o troco, recuperando a posição. A briga, contudo, facilitou ainda mais a vida de Sergio, que viu a margem na liderança subir para mais de 1s.

Com o passar das voltas, a vantagem de García só fez aumentar. No sexto dos 21 giros previstos, o piloto da Aspar já tinha 1s264 de margem para Guevara, que estava longe de longe de se livrar do pelotão, já que agora era caçado por Ayumu Sasaki, o piloto mais rápido da pista.

Mais atrás, Moreira também vinha subindo. O brasileiro tinha o sétimo posto depois de tomar a posição de Scott Ogden. E tampouco demorou para tirar Carlos Tatay do caminho e avançar para a sexta colocação.

Quem não conseguia seguir o roteiro da escalada era Öncü. O turco foi alcançado por Jaume Masià e caiu para a quinta colocação. Sexto, Diogo tinha de descontar mais de 2s de atraso para chegar no pelotão.

Na volta 9, Iván Ortolá caiu na curva 8 de Portimão e encerrou a corrida mais cedo.

Enquanto isso, a vantagem de García na liderança ia caindo rápido. Com 13 voltas para o fim, Guevara já estava só 0s2 atrás, trazendo junto Sasaki, Masià e Öncü. Tatay agora era o sexto, seguido por Andrea Migno, Ogden e Riccardo Rossi. Moreira tinha descido para décimo.

Na reta, Guevara aproveitou o vácuo para mergulhar por dentro na curva 1 e tomar a liderança do colega de Aspar. Mais atrás, Diogo respondeu e avançou para a oitava colocação.

Pouco depois, foi Sasaki quem tomou a ponta apenas brevemente, mas logo viu García reassumir o comando, diante de Masià e Guevara. Öncü vinha em quinto, diante de Tatay, Moreira e Migno.

Masià não tardou em partir para o ataque e reassumiu a liderança, mas Sasaki pressionando para reassumir o terceiro posto. García atacou e voltou à liderança, mas Ayumu deu o bote e retomou a ponta.

Com seis voltas para o fim, Guevara conseguiu reassumir a liderança, com García também passando Sasaki para ocupar o segundo posto em um 1-2 da Aspar. Enquanto isso, Tatay vinha cortando a diferença para o primeiro pelotão, mas o atraso ainda beirava os 5s.

Com cinco voltas para o fim, Öncü surpreendeu e saltou para a liderança mais uma vez, com Sasaki tomando o segundo posto pouco depois. García não demorou muito para responder e voltou à primeira posição, com Jaume também dando o bote para deixar Deniz apenas na quarta colocação.

Mais atrás, Migno e Rossi passaram e derrubaram Moreira para a nona colocação. Daniel Holgado, por outro lado, caiu na curva 5, mas não se feriu e conseguiu voltar para a pista.

Com dois giros para o fim, Sasaki aproveitou o vácuo para tomar a ponta de García. Masià era o terceiro, diante de Öncü e Guevara. Tatay, Migno e Moreira vinham em seguida.

No fim do mesmo giro, Öncü passou Masià e assumiu o terceiro posto. Na abertura da volta final, García passou Sasaki, que também foi superado por Masià, caindo para terceiro.

Mais atrás, Dennis Foggia chegou ao pelotão e conseguiu passar Moreira para tomar a oitava colocação. O brasileiro levou a disputa para a linha de chegada e derrotou o veterano por só 0s005. Depois da corrida, porém, Diogo foi punido por exceder os limites de pista na última volta e caiu para décimo.

Moto3 2022, GP de Portugal, Corrida:

1 S GARCÍA Aspar GasGas 38min17s725 21 voltas
2 J MASIÀ Red Bull KTM Ajo +0.069  
3 A SASAKI Sterilgarda Max Husqvarna +0.110  
4 D ÖNCÜ Tech3 KTM +0.210  
5 I GUEVARA Aspar GasGas +0.373  
6 C TATAY Prüstel GP CFMoto +4.094  
7 A MIGNO Snipers Honda +4.729  
8 D FOGGIA Leopard Honda +7.170  
9 J KELSO CIP KTM +7.241  
10 D MOREIRA MSI KTM +7.165  
11 R ROSSI Sic58 Honda +7.276  
12 T SUZUKI Leopard Honda +7.334  
13 S OGDEN VisionTrack Honda +7.442  
14 L FELLON Sic58 Honda +18.989  
15 S NEPA Angelus MTA KTM +22.437  
16 M AJI Team Asia Honda +22.627  
17 K TOBA CIP KTM +25.411  
18 M BERTELLE Avintia KTM +26.195  
19 E BARTOLINI Avintia KTM +26.213  
20 X ARTIGAS Prüstel GP CFMoto +26.580  
21 R YAMANAKA MSI KTM +27.217  
22 D SALVADOR  Sterilgarda Max Husqvarna +30.402  
23 G RIU Boe SKX KTM +42.926  
24 S AZMAN  Snipers Honda +42.989  
25 T FURUSATO Team Asia Honda +50.532  
26 J WHATLEY VisionTrack Honda +50.902  
27 D ALONSO Aspar GasGas +51.199  
28 A CARRASCO Boe SKX KTM +54.005  
29 D HOLGADO Red Bull KTM Ajo Abandonou  
30 I ORTOLÁ Angelus MTA KTM Abandonou  

DIOGO MOREIRA CHEGA BEM PREPARADO NA MOTO3 E SE DESTACA LOGO DE CARA

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade