0

Paulistano e Bauru relembram trajetória antes da decisão do NBB

Final paulista é a primeira da história da competição com equipes classificadas para os playoffs fora do G-4; Primeiro confronto será neste sábado

26 mai 2017
15h02
atualizado às 16h28
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Pela primeira vez na história do NBB, Paulistano/Corpore e Gocil/Bauru Basket decidem o título. Neste sábado, às 14h, no ginásio Antônio Prado Jr, a bola vai subir pela primeira vez na série. Ambas as equipes buscam o primeiro título da competição que, até o momento, intercalava-se entre Flamengo e Brasília. A partida será transmitida por SporTV e Band.

Com objetivos distintos no início do campeonato, as equipes superaram momentos complicados para estarem na decisão. Enquanto o Paulistano tinha como meta revelar jovens jogadores, o Bauru queria parar de bater na trave - foi vice-campeão nas duas últimas edições do NBB - e, finalmente, conquistar o título inédito.

De acordo com o técnico do clube da capital paulista, Gustavo De Conti, as seis derrotas consecutivas no segundo turno da fase de classificação foram as responsáveis pela mudança de foco da equipe. A sequencia negativa foi contra os seguintes adversários: Vitória, Campo Mourão, Mogi, Bauru, Franca e Brasília.

- Um ponto crucial nesta temporada foram as seis derrotas no início do segundo turno. Ali eu vi que os jogadores, por este discurso, não estavam conseguindo diferenciar uma vitória de uma derrota e sem dar importância se ganhava ou perdia. Com isso, fizemos treinos cada vez mais cedo, com o fim de mostrar para os atletas a diferença entre vitória e derrota e que podíamos ir mais longe.

Enquanto isso, o Bauru viu um de seus principais jogadores, Rafael Hettsheimeir, sair no meio da temporada (em janeiro deste ano) com destino ao Fuenlabrada (ESP). Sem o pivô, o time precisou encontrar uma nova forma de jogar e acompanhou o crescimento de Jefferson. Atualmente, o time do interior é detentor da melhor defesa do campeonato, com média de 75,73 pontos sofridos. O Paulistano é o quarto, com 76,83.

- Esta situação foi muito difícil para a gente. A gente tinha um estilo de jogo que explorava muito o Hettsheimeir. Com a saída dele, ficou muito difícil para nós. Eu tive que mostrar mais o meu lado ofensivo e de liderança no dia a dia e as coisas foram se encaixando naturalmente - explicou o ala-pivô, Jefferson.

Segundo o treinador Demétrius Ferracciú, a equipe aprendeu com as duas últimas finais e está pronta para conquistar o título.

- É uma satisfação muito grande estar na terceira final seguida, pois é difícil manter um projeto deste nível em um campeonato tão competitivo. Acho que é importante a gente olhar para trás e ver o que faltou para o Bauru ser campeão. Hoje a gente está muito mais pronto para fazer uma grande final e ir em busca deste título inédito - disse o comandante do Dragão.

Paulistano e Bauru já se enfrentaram 19 vezes na história do NBB, com um retrospecto amplamente favorável aos bauruenses. No palco do primeiro confronto, porém, o time da casa soma oito vitórias em dez partidas.

Cinco locais para as finais

Para poder acomodar melhor os torcedores, foram escolhidos três novos locais para a realização dos três últimos jogos das finais. O terceiro confronto da série será no ginásio Gigantão, em Araraquara (SP). Caso ocorram, os próximos confrontos serão, respectivamente, no ginásio Vlamir Marques (Parque São Jorge) e Mário Covas, em Botucatu (SP).

Os treinadores comentaram sobre os 'novos' palcos e acreditam que a mudança não tratá empecilhos.

- Dentro de quadra, claro que existe uma diferença grande. É muito mais confortável jogar na quadra que a gente treina, aonde você está acostumado a jogar. Mas, pensando em um público e ginásio maiores, e pensando no basquete, vale a pena a gente jogar em outro local - afimou Gustavo De Conti.

- Os jogadores se adaptam rápido, tanto é que, nos playoffs, tiveram equipes que conseguiram a classificação fora de casa - completou Demétrius.

O primeiro jogo das finais, neste sábado, só contará com a presença de sócios do Paulistano, assim como convidados do clube e da Liga Nacional de Basquete. A torcida do Bauru também estará presente com ingressos distribuídos pelo time do interior paulista. O jogo dois será na próxima sexta-feira, no Ginásio Panela de Pressão, em Bauru (SP), com transmissão do SporTV.

Jefferson defendeu o Paulistano na temporada 2004/2005 Luiz Pires/LNB
Jefferson defendeu o Paulistano na temporada 2004/2005 Luiz Pires/LNB
Foto: Lance!

Veja também:

Jogar em casa não está fazendo a diferença no Campeonato Alemão. Entenda o cenário
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade