PUBLICIDADE

'Gabigol do Palmeiras' prorroga contrato até o final de 2022

Emprestado ao Paysandu e vivendo excelente fase, o contrato do atacante era válido até o fim de 2021

29 mai 2021 13h02
| atualizado às 13h43
ver comentários
Publicidade

O Palmeiras acertou nesta sexta-feira (28) a renovação de contrato de Gabriel Barbosa. O atacante, que atualmente está emprestado ao Paysandu, tinha acordo até o final de 2021 e assinou até 31 de dezembro de 2022. A informação foi dada primeiramente pelo perfil Infos Palestra.

Gabriel Barbosa em ação pelo Palmeiras (Foto: Fabio Menotti/Ag. Palmeiras)
Gabriel Barbosa em ação pelo Palmeiras (Foto: Fabio Menotti/Ag. Palmeiras)
Foto: Lance!

Destaque do Paysandu, o centroavante foi apelidado de 'Gabigol do Pará' pelo bom momento que vive no clube. Na equipe desde o início da temporada, Gabriel já soma cinco gols em sete partidas. Com apenas 160 minutos em campo, possui média de um tento a cada 32 minutos.

A principal façanha do jogador aconteceu recentemente, na final do Campeonato Paranaense. Saindo do banco de reservas para fazer três gols, o jovem de 22 anos foi o herói na vitória do Paysandu por 4 a 1 diante da Tuna Luso, no 49º título estadual do time.

A opção pelo prorrogação do contrato é para que o Palmeiras não perca o atleta de graça. Com o antigo vínculo, o atleta poderia assinar um pré-contrato com outra equipe a partir do meio do ano e consequentemente sair de graça, sem render nada ao Verdão.

Quem é Gabriel Barbosa?

Gabriel Barbosa chegou ao Palmeiras em 2016, na categoria sub-17, após se destacar na base do Desportivo Brasil. Entre julho de 2017 e junho de 2018, foi emprestado ao SPAL, da Itália. Disputando o Primavera 2, segunda divisão do campeonato italiano de juniores, o centroavante disputou 20 partidas pelo clube, com seis gols, sendo o artilheiro da equipe na competição nacional.

Reintegrado ao time Sub-20 do Palmeiras, fez 3 gols em 20 partidas entre agosto de 2018 e dezembro de 2019. Na sequência, foi cedido por empréstimo para clubes brasileiros e antes de chegar ao Paysandu defendeu as equipes profissionais de Londrina e Figueirense. No time paranaense disputou três jogos e, no catarinense, sete. Nas duas passagens não balançou as redes.

Lance!
Publicidade
Publicidade