PUBLICIDADE
Logo do

Flamengo

Meu time

Elenco atende a 'pedido de Dorival' e banco é decisivo em vitória no Recife

Com problemas para montar a equipe diante do Sport, treinador contou com as entradas de Berrío e Everton Ribeiro na etapa final: os dois foram decisivos em momento difícil

19 nov 2018 07h33
| atualizado às 07h33
ver comentários
Publicidade

Depois da vitória contra o Santos, na quinta-feira, o técnico Dorival Júnior lamentou o fato de ter perdido Diego, Rodinei e Pará, suspensos, para o jogo contra o Sport, mas foi claro: era hora do elenco "mostrar sua grandeza". Entre erros e acertos, foi exatamente isso que o grupo do Flamengo fez na vitória por 1 a 0 na Ilha do Retiro. O triunfo renovou as esperanças pelo título brasileiro.

Carlos Ezequiel Vannoni
Carlos Ezequiel Vannoni
Foto: Lance!

A apresentação do time do Flamengo, como o próprio técnico admitiu, não foi satisfatória, especialmente no primeiro tempo. Na etapa final, quando Lucas Paquetá foi expulso, Dorival Júnior apostou em Everton Ribeiro e Berrío, e os dois renovaram a produção ofensiva apesar do homem a menos em campo.

Após as alterações que o Flamengo mais criou, culminando no escanteio batido por Vitinho para a cabeçada de Willian Arão na primeira trave. Além dos nomes que saíram do banco, Dorival já havia contado desde o início do confronto com o zagueiro Rhodolfo, que entrou na zaga por conta da improvisação de Léo Duarte na lateral-direita (Rodinei e Pará, além de Diego, cumpriram suspensão).Na última rodada - vitória por 1 a 0 sobre o Santos no Maracanã -, nomes que não vinham atuando já haviam sido decisivos. No gol de Henrique Dourado, o meia Diego, que vinha sendo banco, lançou Berrío pela direita, o colombiano invadiu a área e tocou para o Ceifador marcar. Além do camisa 10, reserva desde a chegada de Dorival, os dois atacantes saíram do banco para ajudar.

Everton Ribeiro comentou sobre ficar no banco de reservas após uma longa sequência de jogos consecutivos, ressaltando a oportunidade de auxiliar a equipe nos minutos em que esteve em campo na partida contra o Sport. Na visão do camisa 7, este deve ser o pensamento de todos os atletas do grupo.

- O professor optou por um time mais descansado. Quando precisou de mim, entrei para segurar mais a bola. Não deixamos de acreditar, conseguimos criar mais jogadas e o Arão conseguiu marcar. É reta final, temos que demonstrar o melhor independente que quem estará em campo. Vamos fazer nossa parte para cada vez mais ir diminuindo a diferença - afirmou o meia Everton Ribeiro.

Lance!
Publicidade
Publicidade