0

Bronze no tênis de mesa faz Brasil igualar Londres-2012

13 set 2016
20h03
atualizado às 20h16
  • separator
  • 0
  • comentários

A vitória de Bruna Alexandre sobre a dinamarquesa Sophie Walloe na disputa do terceiro lugar da classe 10 do tênis de mesa teve dois significados importantes para o esporte paralímpico brasileiro. O triunfo por 3 sets a o (11/2, 13/11 e 11/8) significou a primeira medalha de uma mulher na modalidade e igualou a campanha do país com a última participação, em Londres, há quatro anos.

Bruna Alexandre conquistou a medalha de número 43 do Brasil na Paralimpíada do Rio (Foto:Alaor Filho/MPIX/CPB)
Bruna Alexandre conquistou a medalha de número 43 do Brasil na Paralimpíada do Rio (Foto:Alaor Filho/MPIX/CPB)
Foto: Lance!

No momento, com a medalha conquistada por Bruna, o Brasil alcançou a marca de 43, o mesmo número obtido na capital da Inglaterra. A quinta colocação no quadro de medalhas segue dentro do estabelecido pelo Comitê Paralímpico Brasileiro.

A terça-feira, sexto dias de disputas da Paralimpíada do Rio, foi fundamental para que a marca fosse alcançada de maneira tão rápida. Foram, até o presente momento, um total de oito medalhas. Contudo, ainda há algumas diferenças importantes.

Há quatro anos o Brasil conquistou um total de 21 medalhas de ouro. Apesar de ter igualado a quantidade de pódios obtidos em Londres, o país-sede tem no momento dez primeiros lugares. O outro ponto é o recorde em uma única edição de uma Paralímpiada. O melhor desempenho foi em Pequim-2008, quando foram ganhas 47 medalhas.

Como faltam ainda cinco dias de competições, as chances de estabelecer o novo recorde são boas.

 

Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade