2 eventos ao vivo

Após eliminação, Palmeiras tenta mostrar que rodízio vale a pena

Alternância de escalações que marcou o título brasileiro mostrou que eliminações não abalavam, mas, em 2019, time só perdeu pontos quando descansou principais jogadores

20 jul 2019
08h03
  • separator
  • 3
  • comentários

Neste sábado, às 19h, o Palmeiras não terá seus principais jogadores para enfrentar o Ceará, em Fortaleza, pelo Brasileiro, já que o foco está no duelo de terça-feira, contra o Godoy Cruz, na Argentina, pela Libertadores. Uma mudança costumeira de Luiz Felipe Scolari, mas que, neste ano, ainda não teve a eficiência de 2018. E o rodízio, como no ano passado, tem como desafio deixar para trás uma eliminação - para o Inter, nos pênaltis, na Copa do Brasil.

Felipão deve poupar seus principais jogadores diante do Ceará, neste sábado, pelo Brasileiro (Agência Palmeiras)
Felipão deve poupar seus principais jogadores diante do Ceará, neste sábado, pelo Brasileiro (Agência Palmeiras)
Foto: Lance!

O título brasileiro do ano passado teve essa alternância como marca, e a força do elenco foi provada exatamente em momentos como o deste fim de semana, superando a frustração de uma eliminação. Mesmo caindo na Copa do Brasil e na Libertadores de 2018, a equipe teve capacidade de se recuperar mesmo poupando atletas, assumindo a liderança do Campeonato Brasileiro e iniciando a sequência de 33 rodadas de invencibilidade na competição.
Em 2019, porém, o Palmeiras perdeu pontos no torneio somente quando escalou reservas. O aproveitamento de 100% não foi estabelecido porque uma equipe quase inteiramente de suplentes - Deyverson foi a exceção - empatou por 1 a 1 diante do CSA, em Alagoas, pela segunda rodada. O placar se repetiu no sábado passado, ante o São Paulo, no Morumbi, onde a Felipão optou por escalar zagueiros e meio-campistas que costumam ficar no banco.

Bem diferente do ano passado. Em 2018, o Palmeiras caiu na Copa do Brasil, diante do Cruzeiro, em 26 de setembro, e, quatro dias depois, contra a mesma equipe mineira, uma formação misturando titulares e reservas venceu por 3 a 1 e assumiu a liderança do Brasileiro. A queda na Libertadores ocorreu contra o Boca Juniors, em 31 de outubro, e, após três dias, uma escalação com alguns suplentes derrotou o Santos por 3 a 2, mantendo a vantagem na ponta.

Na atual temporada, o Verdão já mostrou capacidade de se reerguer depois de uma eliminação. Em 7 de abril, parou nas semifinais do Campeonato Paulista ao ser superado nos pênaltis pelo São Paulo, após 0 a 0 no Allianz Parque. Três dias depois, mas com a formação principal, impôs 3 a 0 ao colombiano Junior Barranquilla, pela Libertadores, e deu pontapé a uma ascensão que lhe rendeu a melhor campanha da primeira fase do torneio continental, o avanço às quartas de final da Copa do Brasil e a liderança do Campeonato Brasileiro.

Apesar dos tropeços diante de CSA e São Paulo, ambos fora de casa, como ocorrerá neste fim de semana, Felipão mantém a confiança em seu elenco. É possível que nenhum dos principais jogadores atue no Castelão nesta noite. O time ainda tem uma gordura: caso seja derrotado, só perderá a liderança se o Santos vencer o Botafogo, às 11h deste domingo, no Rio de Janeiro, tirando uma diferença de dez gols no saldo.

Ainda assim, ter um rival colado, além da possibilidade de aproximação do Flamengo, que está a seis pontos, não é o objetivo, obviamente. Por isso, caberá aos escalados deste sábado provar que, como em 2018, o rodízio que mantém o elenco inteiro motivado, por jogar com frequência, ainda vale a pena no Palmeiras.

Lance!
  • separator
  • 3
  • comentários
publicidade