0

Adeus ao Ramón de Carranza: estádio espanhol mudará de nome

Prefeito da cidade de Cádiz decide tirar nome do militar que fez parte da guerra civil do país e batizava o estádio. Local é sede de tradicional torneio amistoso entre clubes

23 set 2020
01h08
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Uma polêmica recente tomou conta da cidade de Cádiz, no sul da Espanha. O estádio Ramón de Carranza, conhecido de muitos brasileiros por conta do torneio amistoso internacional de clubes que é disputado no local, vai mudar de nome. Eleito para seu segundo mandato no ano de 2019, o prefeito da cidade, José Maria González Santos, decidiu retirar do estádio o nome que homenageia um militar espanhol.

Troféu Ramón de Carranza, torneio que tem o nome do estádio espanhol, inaugurado em 1955 (Crédito: reprodução)
Troféu Ramón de Carranza, torneio que tem o nome do estádio espanhol, inaugurado em 1955 (Crédito: reprodução)
Foto: Lance!

Ramón de Carranza foi um almirante espanhol que se uniu às tropas do ditador Francisco Franco quando a Segunda Guerra Mundial eclodiu. O militar franquista foi prefeito da cidade de Cádiz em duas ocasiões, antes de falecer em 1937. A Guerra Civil Espanhola foi travada nos anos 30 e marcou a ascensão do nacionalismo e fascismo na Espanha, acarretando na subida do franquismo ao poder do país, fortemente apoiado por Hitler e pelo Terceiro Reich alemão. A ditadura na Espanha perdurou até a morte de Franco, em 1975.

Inaugurado em 1955, o estádio dá nome ao torneio de pré-temporada que acontece desde sua inauguração, sempre no mês de agosto. Muitos clubes brasileiros guardam boas memórias do local graças às vitórias na competição: o Palmeiras e o Vasco são os maiores campeões com três títulos; o Flamengo tem dois. Já Atlético-MG São Paulo e Corinthians possuem um título cada.

Algumas lembranças chamam a atenção, como a goleada por 4 a 0 que o São Paulo, do então técnico Telê Santana, aplicou no poderoso Real Madrid, antes daquele esquadrão do Morumbi ser bicampeão da América e do mundo. Ou a partida de estreia de Robinho pelo Real Madrid, ou até mesmo a vez em que o craque francês Zidane pisou naquele gramado e marcou cinco gols.

A decisão de mudança de nome é baseada na Lei da Memória Histórica ou Lei da Memória Democrática, de 2007, que dá o direito de se estabelecer medidas em favor daqueles que foram perseguidos, torturados ou mortos durante a ditadura e a guerra civil. Mesmo sustentada por lei, a decisão de mudar o nome do estádio foi questionada por muitos moradores da cidade e torcedores do clube devido à tradição e história já escrita.

Ainda não se sabe qual a forma escolhida para definir o novo nome do estádio e nem qual será o nome escolhido. Por hora, a Câmara Municipal de Cádiz abriu um processo participativo para que, por meio de consulta popular, novos nomes sejam sugeridos. Segundo o prefeito González, a única certeza é que o novo nome não será dado como forma de homenagem a alguma pessoa.

Veja também:

Relembre goleadas marcantes na história do futebol
Lance!
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade