PUBLICIDADE

Jogos de Paris

Natação: Seletiva olímpica será no Rio de Janeiro

Loca, que sediou o Torneio Open de 2017, receberá competição que definirá Seleção para Paris 2024

26 fev 2024 - 20h01
Compartilhar
Exibir comentários

A Seletiva Olímpica Brasileira de natação será no Centro de Treinamento Olímpico da Aeronáutica, na sede da Comissão de Desportos da Aeronáutica (CDA), no Rio de Janeiro. A competição, que definirá a seleção brasileira que disputará os Jogos Olímpicos de Paris 2024, será de 6 a 11 de maio.

Centro de Treinamento Olímpico da Aeronáutica, na sede da Comissão de Desportos da Aeronáutica
Centro de Treinamento Olímpico da Aeronáutica, na sede da Comissão de Desportos da Aeronáutica
Foto: Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA

Sede do Troféu Daltely Guimarães e Julio de Lamare de 2017, a piscina foi inaugurada em 2016 como parte das obras para os Jogos Olímpicos de 2016, no Rio de Janeiro. O complexo, com uma piscina de 50m e uma de 25m, que será utilizada para aquecimento e soltura dos atletas que participarão do evento. 

“Estamos muito satisfeitos com a confirmação da piscina da CDA da Aeronáutica para a realização da Seletiva Olímpica Brasileira. Definiremos nossa seleção em uma das mais modernas piscinas do Brasil, coberta e com estrutura adequada para que nossos atletas façam seus melhores tempos e fortaleçam nossa Seleção para Paris 2024”, disse o presidente da CBDA, Luiz Fernando Coelho.

Seletiva

Para fazer parte da seleção olímpica brasileira para Paris, os nadadores e nadadoras terão que participar da Seletiva Olímpica Brasileira. O campeão e o vice-campeão, desde que atinjam o índice olímpico, estarão na seleção olímpica. Valerão os tempos apenas da final A da Seletiva Olímpica.

Salvaguarda

Em agosto de 2024, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos publicou um comunicado com as salvaguardas para a formação da seleção brasileira para os Jogos Olímpicos. Neste comunicado, a diretoria de Natação estipulou as seguintes competições como válidas para que os atletas alcançassem o índice olímpico:

Mundial de Fukuoka/Japão (eliminatórias, semifinais e finais)

Mundial Junior – Netanya/Israel (eliminatórias. semifinais e finais)

Universiade – Chengdu/CH (eliminatórias, semifinais e finais)

Jogos Panamericanos (FINAL)

Troféu José Finkel (FINAL)

Mundial de Doha (Heats, SF e Final)

Ao todo, seis atletas atingiram os índices nestas competições: Beatriz Dizotti, Gabrielle Roncatto, Maria Fernanda Costa, Kayky Mota, Guilherme Costa e Guilherme Caribé. De acordo com os critérios divulgados nesta sexta-feira (26), estes atletas farão parte da seleção brasileira olímpica caso não sejam preenchidas as duas vagas possíveis na prova em que eles alcançaram os índices previamente.

Revezamentos

As vagas para revezamentos em Paris foram definidas pela AQUA. Os três primeiros colocados do Campeonato Mundial de Fukuoka, em 2023, já estão automaticamente classificados para Paris. Os demais participantes serão definidos com base nos resultados também de Fukuoka e do Campeonato Mundial de Doha, no Catar, que será realizado em fevereiro.

Para o preenchimento das vagas de revezamento dentro da seleção olímpica do Brasil, serão convocados os atletas que atingirem o índice A na Seletiva Olímpica, em maio. Caso quatro atletas não alcancem o índice, serão avaliados os tempos das competições selecionadas pela CBDA e a colocação dos atletas também na Seletiva Olímpica.

Comissão técnica

A Comissão técnica que acompanhará a seleção brasileira nos Jogos Olímpicos será formada pelos treinadores dos atletas que obtiverem os melhores resultados dentro do ranking da Aqua e de acordo com o número de credenciais disponíbilizadas pelo COB .

O ranking referência será do ano de 2023 (01/01/2023 a 31/12/2023), com dois por país e nenhum brasileiro publicado no site da CBDA antes do início da seletiva. O tempo obtido pelo atleta da Final A da seletiva será confrontado com esse ranking e definia a posição do nadador, como critério para escolha do treinador.

On Board Sports
Compartilhar
Publicidade
Publicidade