PUBLICIDADE

Jogos de Paris

Luna Hardman disputa título mundial Pro Junior de Bodyboarding

Luna entra na água na etapa chilena também na Profissional e é lider do ranking mundial nas duas categorias

20 mai 2024 - 20h21
Compartilhar
Exibir comentários

Com uma vitória e um segundo lugar no Circuito Mundial de Bodyboarding, a brasileira Luna Hardman vai decidir o título 2024 em uma super bateria com a portuguesa Luana Dourado. Depois de vencer a etapa do Espírito Santo, no Brasil, o ArcelorMittal Wahine Bodyboarding Pro, em abril, Luna terminou na segunda colocação, neste domingo (19), no Antofagasta Bodyboard Festival, que está sendo disputado no Chile.

Como a portuguesa ficou em segundo na etapa brasileira e em primeiro, agora, na chilena, elas definirão o título mundial em uma bateria desempate, que será marcada para esta semana. Se ganhar, Luna será bicampeã mundial, pois ganhou esse título em 2022.

Luna Hardman
Luna Hardman
Foto: Foto: Divulgação

Depois de ser destaque na Pro Junior, Luna volta suas atenções para a Profissional. Ela é líder no ranking mundial nas duas categorias. Na Profissional, soma até agora no circuito dois segundos lugares – no Marrocos e no Wahine – e um terceiro em Iquique, no Chile, no início de maio. A competição em Antofagasta segue até este domingo (26), reunindo os melhores bodyboarders do circuito, no feminino e no marculino, na praia de Lllacolén, válida pelo calendário do IBC (International Bodyboarding Corporation).

A capixaba Luna, 18 anos, é destaque da nova geração, filha de Neymara Carvalho, pentacampeã mundial e com 10 títulos brasileiros, que também está competindo no Chile.

“São duas etapas válidas pelo título mundial na Pro Junior, o Wahine e agora a de Antofagasta. Como estamos empatadas, eu e a Luana, vamos decidir no Super Heat (bateria desempate). Na final, a batalha foi muito equilibrada e faltou uma segunda onda para ser campeã, Agora é ir com tudo nessa grande decisão”, explicou Luna, patrocinada pela ArcelorMittal e apoiada pelo Instituto Neymara Carvalho. 

Em sua campanha até a final em Antofagasta, Luna venceu nas quartas de final a portuguesa Alice Teotonio e, na semifinal, a peruana Hanna Saavedra.

Luna começou a competir aos 12 anos. Mas, vive o bodyboarding desde muito antes disso, com a mãe como exemplo. Neymara participou de disputas até os cinco meses de gravidez. No ano passado, a jovem capixaba, cujo pai é o surfista Daniel Hardman, conquistou uma das etapas do Circuito Brasileiro, seu primeiro resultado como profissional.

On Board Sports
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade