PUBLICIDADE

Resumo: Brasil é ouro no atletismo, natação e parataekwondo

Em semifinais, Brasil avança no futebol de 5 e goalball e vai para a disputa do bronze no goalball feminino e vôlei sentado masculino

2 set 2021 09h19
| atualizado às 10h37
ver comentários
Publicidade

O Brasil teve mais um dia positivo nas pistas e nas piscinas: no atletismo, foram mais três medalhas, uma de cada tipo, com o ouro de Alessandro Rodrigo, a prata de Marivana Oliveira e o bronze de Mateus Evangelista.

Alessandro Rodrigo exibe a medalha de ouro conquistada na Paralimpíada no Japão Ale Cabral CPB
Alessandro Rodrigo exibe a medalha de ouro conquistada na Paralimpíada no Japão Ale Cabral CPB
Foto: Ale Cabral / CPB

Na natação, Talisson Glock superou o favorito Antonio Fantin e levou o ouro, enquanto Gabriel Araújo, por sua vez, confirmou o favoritismo e faturou o segundo ouro em Tóquio.

Talisson Glock conquistou o ouro no Centro Aquático de Tóquio Miriam Jeske CPB
Talisson Glock conquistou o ouro no Centro Aquático de Tóquio Miriam Jeske CPB
Foto: Miriam Jeske / CPB

Na estreia do parataekwondo nos Jogos Paralímpicos, o Brasil ganhou ouro com Nathan Torquato.

O dia também foi repleto de semifinais nos esportes coletivos: a Seleção masculina de goalball se classificou, enquanto a feminina perdeu nos pênaltis; no futebol de cinco, o Brasil avançou e no vôlei sentado masculino, foi derrotado pela Rússia.

Atletismo

Alessandro Rodrigo se tornou bicampeão paralímpico no lançamento de disco da classe F11 (cegos). Na prova na qual é recordista mundial, ele quebrou a própria marca, estabeleceu o novo recorde paralímpico e assegurou o lugar mais alto do pódio, com 43,16m. No arremesso de peso F35 (atletas com paralisia cerebral, que conseguem andar), Marivana Oliveira conseguiu a marca de 9,15m e ficou com a prata. No salto em distância F37 (mesma coisa do F35, mas com comprometimento físico-motor menor), Mateus Evangelista saltou para 6.5m, sua melhor marca da temporada, e levou o bronze.

Marivana Oliveira exibe a medalha de prata conqusitada na Paralimpíada de Tóquio Ale Cabral CPB
Marivana Oliveira exibe a medalha de prata conqusitada na Paralimpíada de Tóquio Ale Cabral CPB
Foto: Ale Cabral / CPB

Após conquistar medalha, Mateus Evangelista mostrou a bandeira do Brasil e uma roupinha de bebê, como homenagem a Luca, filho recém-nascido; Lorena Spoladore correu a bateria dos 200m rasos T11 com uma venda feita a partir do vestido em que se casou e se classificou para a semifinal (Jerusa Geber e Thalita Simplício também se classificaram). Já a atleta de Cabo Verde Keula Nidreia Semedo foi pedida em casamento pelo guia, Manuel Antônio da Veiga após a semifinal dos 200m rasos T11, e disse sim.

Natação

Os nadadores do Brasil seguiram fazendo bonito nas piscinas, com mais dois ouros: Talisson Glock venceu a prova dos 400m livre da classe S6 (atletas com amputação ou problemas motores de um lado do corpo), superando o favorito e campeão mundial Antonio Fantin, que ficou com a prata. Já Gabriel Araújo dominou a prova dos 50m costas da classe S2(atletas com braços, pernas ou tronco limitados) e levou o ouro com quatro segundos de vantagem para o segundo colocado.

Gabriel Araújo festeja ouro nos 50m costas na Paralimpíada Miriam Jeske CPB
Gabriel Araújo festeja ouro nos 50m costas na Paralimpíada Miriam Jeske CPB
Foto: Miriam Jeske / CPB

Parataekwondo

Na estreia do parataekwondo nos Jogos Paralímpicos, o Brasil já foi bem. Nathan Torquato competiu na categoria até 61kg da classe K44 (atletas com limitações de apenas um lado do corpo, na perna ou braço) e deveria encarar Mohamed Elzayat, do Egito, na final. O adversário até tentou voltar após sofrer um golpe irregular na semi, mas não teve condições e o brasileiro foi declarado campeão.

 Nathan Torquato celebra ouro com a bandeira do Brasil nesta quinta-feira em Tóquio Thomas Peter Reuters
Nathan Torquato celebra ouro com a bandeira do Brasil nesta quinta-feira em Tóquio Thomas Peter Reuters
Foto: Thomas Peter / Reuters

Futebol de 5

O Brasil continua em busca da quinta medalha de ouro em Paralimpíadas no esporte. Único campeão paralímpico até hoje, o Brasil bateu Marrocos por 1 a 0 com gol contra de Berka. A final será contra a Argentina.

 Seleção Brasileira de futebol de 5 comemora vaga na final da Paralimpíada Alê Cabral CPB
Seleção Brasileira de futebol de 5 comemora vaga na final da Paralimpíada Alê Cabral CPB
Foto: Alê Cabral / CPB

Tiro com arco

Fabíola Dergovics fez uma boa campanha: estreou com vitória por 6 a 4 sobre a norte-americana Emma Rose Ravisk no tiro com arco recurvo individual, e na sequência venceu Phattharaphon Pattawaeo, da Tailândia, por 7 a 1. Nas quartas de final da classe W2, que reúne atletas com deficiência nas pernas e usam cadeira de rodas ou que possuem deficiência de equilíbrio e atiram em pé ou com auxílio de um apoio, a brasileira enfrentou a iraniana Zahra Nemati, atual bicampeã mundial e favorita ao tri, e foi eliminada por 7 a 1.

Bocha

O dia no esporte começou mal, com três derrotas na fase de grupos por equipes, mas depois se igualou com três vitórias. Na BC1/BC2, a equipe brasileira perdeu por 9 a 2; na BC4, por 7 a 3 para a Eslováquia e por 6 a 4 para a Grã-Bretanha. Então, na BC3, os brasileiros derrotaram Portugal por 7 a 3, se recuperou na BC1/BC2 ao bater a Eslováquia por 5 a 4 e na BC4 ao vencer o Canadá por 4 a 3.

Goalball

A Seleção masculina conseguiu uma grande vitória contra a Lituânia na semifinal e avançou para enfrentar a China na final. Após um primeiro tempo equilibrado, com placar igual em 2 a 2, os brasileiros conseguiram abrir vantagem de quatro gols no começo da segunda etapa e triunfou por 9 a 3.

Seleção Brasileira de goalball masculino está na final da Paralimpíada de Tóquio Takuma Matsushita CPB
Seleção Brasileira de goalball masculino está na final da Paralimpíada de Tóquio Takuma Matsushita CPB
Foto: Takuma Matsushita / CPB

No feminino, em um jogo bastante equilibrado, o Brasil abriu 2 a 0 contra os Estados Unidos no primeiro tempo, e acabou sofrendo o empate na etapa final, faltando poucos segundos para acabar. A prorrogação não teve gols e, nos pênaltis, os Estados Unidos triunfou, convertendo três de cinco, enquanto o Brasil desperdiçou quatro de seis. A disputa da medalha de bronze será contra o Japão.

Vôlei sentado

A Seleção masculina jogou contra o Comitê Paralímpico Russo na semifinal, e acabou derrotado por 3 sets a 1. O Brasil começou bem e venceu o primeiro set por 25 a 22, mas os russos passaram a dominar desde então e venceram os outros três sets por 25 a 21, 25 a 19 e 25 a 19. A disputa do terceiro lugar será contra Bósnia ou Irã.

Canoagem

Todos os brasileiros conseguiram vaga na semifinal de suas disputas: Luis Carlos Cardoso no caiaque simples 200m KL1, Débora Benavides no va'a simples 200m VL2, Paulo Rufino no caiaqu simples 200m KL2, Caio Ribeiro no caiaque simples 200m KL3 (Caio Ribeiro), Giovane Vieira no caiaque simples 200m KL3 e Mari Christina Santilli no caiaque simples 200m KL3.

Estadão
Publicidade
Publicidade