PUBLICIDADE

Indoor da Sociedade Hípica Paulista tem cavaleiros olímpicos como atrações

Com participação de atletas olímpicos, maior evento hípico em recinto fechado da América Latina começou nesta terça-feira e segue até domingo

28 set 2021 16h39
| atualizado às 16h45
ver comentários
Publicidade

De atletas amadores a profissionais, de mirins a seniores, o Concurso de Salto Internacional (CSI2*-W) e o Concurso de Salto Nacional (CSN4*) se tornou em ponto de encontro anual dos amantes do hipismo. Este ano em sua 31ª edição, o Indoor da Sociedade Hípica Paulista foi aberto na manhã de terça-feira, 28/6, com uma coletiva de imprensa que contou com participação de dirigentes da entidade, dos cavaleiros olímpicos José Roberto Reynoso Fernandez Filho, tetracampeão do GP Indoor SHP, e o medalhista Rodolpho Riskalla, prata no Adestramento na Paralimpíada de Tóquio.

Marcello, Mariana, Fernando, Rodolpho, José Reynoso, José Guimarães e Pepê (Foto: Luis Ruas)
Marcello, Mariana, Fernando, Rodolpho, José Reynoso, José Guimarães e Pepê (Foto: Luis Ruas)
Foto: Lance!

Outro José Roberto, o Guimarães, maior medalhista olímpico do vôlei, também marcou presença para revelar sua paixão por cavalos e pelos esportes hípicos, em que começou competindo no Adestramento e desde 2020 no Salto, modalidade na qual conquistou a faixa de vice-campeão brasileiro máster 2020 em sua estreia em um campeonato."

- Quero parabenizar a Hípica pelo concurso, pelo GP, pelos 110 anos, uma hípica com uma história maravilhosa, e uma honra poder estar aqui junto com esses craques. O hipismo é uma parte muito importante da minha vida - disse. Prata em Tóquio com a seleção feminina de vôlei, Guimarães enfatizou a importância de se valorizar a conquista:

- Nós moramos em um país em que, infelizmente segundo e último lugar é a mesma coisa. Mas essa situação está mudando, não podemos esquecer que vivemos em um mundo de sete bilhões de pessoas e eu fui o segundo do mundo. Essa valorização tem que existir sim. Nós fomos medalha de prata e temos que levantar a mão pro céu porque nós saímos para ser bronze no máximo e, de repente, estávamos fazendo uma outra final olímpica. Eu tenho uma regra: medalha de ouro - que nós já fomos três vezes - um mês para comemorar, uma derrota, 24hs para lamentar. As derrotas me ensinaram muito mais do que ganhei - disse.

Para o presidente da SHP, Fernando Sampaio Ferreira Filho, o Indoor 2021 chega para proporcionar a atletas e público momentos do reencontro, e mesmo com plateia menor em razão do protocolo da Covid-19, mas entusiasmada depois de meses de restrições e cancelamento de eventos.

- Esperamos fazer um concurso muito bonito e competitivo e que as pessoas se divirtam e possam ter um momento de paz dentro desse concurso maravilhoso, como vem sendo todos esses anos. Vou participar também do concurso - afirmou.

Lance!
Publicidade
Publicidade