PUBLICIDADE

Guia dos Jogos Olímpicos de Inverno; veja quais são as modalidades e os brasileiros na disputa

Fique por dentro de tudo que vai acontecer nos Jogos de Inverno na China

3 fev 2022 08h19
ver comentários
Publicidade
Curling é uma das modalidades mais conhecidas dos Jogos Olímpicos de Inverno (Foto: SEBASTIEN BOZON / AFP)
Curling é uma das modalidades mais conhecidas dos Jogos Olímpicos de Inverno (Foto: SEBASTIEN BOZON / AFP)
Foto: Lance!

14 anos depois de sediar as Olimpíadas de Verão, Pequim, capital da China, será novamente palco dos Jogos Olímpicos, mas dessa vez os de Inverno. A cidade, que se tornará a primeira da história a sediar Jogos Olímpicos de Verão e de Inverno, será o centro do esporte mundial durante o mês de fevereiro, mais precisamente entre os dias 4 e 20.

Oficialmente, os Jogos Olímpicos de Inverno serão iniciados nesta sexta-feira (4), com a Cerimônia de Abertura realizada no estádio Ninho do Pássaro, às 8h (de Brasília). Contudo, algumas modalidades como o Luge e o Curling já estão em disputa.

Tradicionalmente como acontece nos Jogos de Inverno, a cidade de Pequim não será a única da China a sediar eventos de competição, sendo assim, contando com uma sede auxiliar. Nessa edição, a cidade de Zhangjiakou, na província de Hebei, será o local das provas realizadas na neve, como Snowboard e Esqui, por exemplo.

MODALIDADES

Ao todo, os Jogos Olímpicos de Inverno contam com 15 modalidades, sendo oito delas de gelo e sete de neve.

São modalidades disputadas no gelo: Curling, Hóquei no Gelo, Patinação Artística, Patinação de Velocidade, Patinação de Velocidade em pista curta, Bobsled, Skeleton e Luge.

Já as modalidades de neve são: Snowboard, Esqui Alpino, Esqui Cross-Country, Esqui estilo livre, Salto de Esqui, Biatlo (Esqui e Tiro esportivo), Combinado Nórdico (Salto de esqui e Esqui cross-country).

DELEGAÇÃO BRASILEIRA

Muito por conta das dificuldades climáticas, o Brasil não tem muita tradição nos Jogos Olímpicos de Inverno na mesma proporção que nos Jogos Olímpicos de Verão. Contudo, isso não significa que não teremos representantes em Pequim. O Time Brasil contará com 10 atletas para os Jogos Olímpicos, sendo seis homens e quatro mulheres, em cinco modalidades diferentes.

O Time Brasil será representado por Edson Bindillati, Edson Martins, Erick Vianna e Rafael Souza, tendo Jefferson Sabino como reserva no Bobsled. Manex Silva, no masculino, já no feminino Jaqueline Mourão e Duda Ribera serão os nomes brasileiros na disputa no Esqui Cross-Country. Nicole Silveira é a representante no Skeleton, Sabrina Cass competirá no Esqui estilo livre, enquanto Michel Macedo levará as cores do Brasil no Esqui Alpino.

Edson Bindilatti, atleta do Bodsled, que será o porta-bandeira do Time Brasil em Pequim, é o recordista brasileiro de participações em Jogos de Inverno, com quatro Olimpíadas na carreira. Por outro lado, Jaqueline Mourão, conhecida por participar dos Jogos Olímpicos de Verão e Inverno, chegará a oito participações olímpicas na carreira, batendo o recorde brasileiro.

Isabel Clark detém o melhor resultado do Brasil na história da competição: 9° lugar no Snowboard Cross, nos Jogos Olímpicos de Turim, em 2006.

PRINCIPAIS ATLETAS

Mikael Kingsbury, canadense de 29 anos de idade, é considerado um dos melhores esquiadores do mundo no estilo livre. É o atual campeão olímpico e defenderá seu título em Pequim.

Yuzuru Hanyu, japonês de 27 anos de idade, é o atual bicampeão olímpico na Patinação Artística e chega forte em Pequim para conquistar o tricampeonato.

Mikaela Shiffrin, norte-americana de 26 anos, é uma das favoritas no Esqui Alpino. Na Coréia do Sul, em 2018, Shiffrin foi medalha de ouro no slalom gigante e medalhista de prata no combinado alpino (slalom, slalom gigante, downhill e super-G).

Shaun White, norte-americano de 35 anos de idade, considerado um dos maiores nomes do Snowboard, fará sua despedida dos Jogos Olímpicos de Inverno. Tricampeão olímpico, White busca sua quarta medalha de ouro em sua última Olimpíada da carreira.

Chloe Kim, norte-americana de 21 anos de idade, se tornou a snowboarder mais jovem da história a conquistar uma medalha de ouro nas Olimpíadas de Inverno. Em 2018, quando ainda tinha 17 anos, Kim venceu a competição de Snowboard Halfpipe na Coréia do Sul, e agora busca o bicampeonato olímpico em Pequim.

Chloe Kim foi medalha de ouro no snowboard em PyeongChang (Foto: AFP)
Chloe Kim foi medalha de ouro no snowboard em PyeongChang (Foto: AFP)
Foto: Lance!

POTÊNCIAS OLÍMPICAS

País de pouca tradição nos Jogos Olímpicos de Verão, a Noruega é uma das grandes potências dos Jogos de Inverno. Na última edição, o país nórdico liderou o quadro de medalhas com 39 (14 de ouro, 14 de prata e 11 de bronze). Na penúltima edição, em Sochi, na Rússia, a Noruega ficou com o 'vice-campeonato' geral, com 26 medalhas (11 de ouro, 5 de prata e 10 de bronze). Ao todo, a Noruega é o país com mais medalhas na história dos Jogos de Inverno com 368 (132 medalhas de ouro, 125 de prata e 111 de bronze.)

Assim como a Noruega, o Canadá é outro país que sempre chega forte para os Jogos Olímpicos de Inverno. Em 2018, os canadenses ficaram no terceiro lugar geral com 29 medalhas (11 de ouro, 8 de prata e 10 de bronze), em Sochi, na Rússia, em 2014, foi o terceiro geral com 25 medalhas (10 de ouro, 10 de prata e 5 de bronze). Quando sediou os Jogos em Vancouver, em 2010, o Canadá foi o primeiro geral com 26 medalhas (14 de ouro, 7 de prata e 5 de bronze).

Forte e vencedor nos Jogos Olímpicos de Verão, os Estados Unidos ficam um pouco para trás no Inverno. Na Coréia do Sul, em 2018, foi apenas o quarto lugar geral com 23 (9 de ouro, 8 de prata e 6 de bronze), assim como em Sochi em 2014. Contudo, os Estados Unidos são o único país a conquistar uma medalha de ouro em todos as edições de Jogos de Inverno.

Sede desta edição dos Jogos de Inverno, a China não tem a mesma tradição dos Jogos de Verão. O país asiático tem a expectativa de bater o seu recorde histórico de medalhas em Pequim. Segundo o site especializado Gracenote, a China pode ganhar 13 medalhas nesta edição, sendo seis delas de ouro.

RECORDISTAS

A norueguesa Marit Bjørgen é a atleta com mais pódios na história dos Jogos Olímpicos de Inverno. A esquiadora tem na carreira oito ouros, quatro pratas e três bronzes, totalizando nada menos do que 15 pódios em Olimpíadas.

O esquiador japonês Noriaki Kasai é o atleta com mais participações da história dos Jogos Olímpicos de Inverno. Ao todo, Kasai participou de oito edições das Olimpíadas, de Albertville, na França, em 1992, a PyeongChang, na Coreia do Sul, em 2018.

Talvez uma das modalidades mais conhecidas dos Jogos Olímpicos de Inverno, o Curling tem o Canadá como maior medalhista da história. Ao todo, o país tem seis ouros, três pratas e dois bronzes.

Em PyeongChang, em 2018, a tcheca Ester Ledecka se tornou a primeira atleta da história a conquistar medalhas de ouro em duas modalidades diferentes na mesma edição dos jogos. A atleta levou o ouro no Slalom paralelo gigante, no Snowboard e também no Super-G do Esqui alpino.

ATLETAS MEDALHISTAS NOS JOGOS DE INVERNO E DE VERÃO

Até os dias de hoje, apenas sete atletas na história conquistaram medalhas nas duas faces dos Jogos Olímpicos. Veja a lista:

Gillis Grafström - o sueco conquistou a medalha de ouro na Patinação Artística nos Jogos Olímpicos de Verão na Antuérpia, em 1920. Nos Jogos de Inverno, Grafström também na Patinação Artística, conquistou o ouro em Chamonix (1924), em St. Moritz (1928) e a prata em Lake Placid (1932).

Eddie Eagan - o norte-americano levou a medalha de ouro no Boxe nos Jogos de Verão da Antuérpia (1920). Já nos Jogos de Inverno, levou o ouro no Bobsled por equipes em Lake Placid (1932).

Jacob Tullin Thams - o norueguês conquistou a medalha de prata na Vela nos Jogos de Verão de Berlim (1936), mas antes já havia conquistado o ouro no Salto de Esqui nos Jogos de Inverno de Chamonix (1924).

Christa Luding-Rothenburger - a alemã levou a medalha de prata no Ciclismo de Pista nos Jogos Olímpicos de Verão em Seul (1988). Já nos Jogos de Inverno, a atleta conquistou o ouro em Sarajevo em 1984 na Patinação de Velocidade de 500 metros. Na edição de Calgary (1988), Christa foi medalha de ouro na Patinação de 1000m metros, e medalha prata na de 500m. Em Albertville (1992), a alemã foi medalha de bronze na Patinação de 500m.

Clara Hughes - a canadense é a atleta com mais medalhas entre Jogos de Verão e de Inverno, com seis no total. Nos Jogos Olímpicos de Verão em Atlanta (1996), Clara conquistou duas medalhas de bronze no Ciclismo de Estrada (individual e contra-relógio). Já nos Jogos de Inverno, Clara competiu na Patinação de Velocidade e conquistou o bronze individual em Salt Lake City (2002), o ouro individual e prata por equipes em Turim (2006) e o bronze individual em Vancouver (2010).

Lauryn Williams - a norte-americana foi medalhista de prata nos 100m rasos nos Jogos Olímpicos de Atenas (2004) e conquistou o ouro no revezamento 4x100m em Londres (2012). Já nos Jogos de Inverno, levou a medalha de prata no Bobsled em dupla em Sochi (2014).

Eddy Alvarez - o norte-americano conquistou a medalha de prata no Baseball nos Jogos Olímpicos de Tóquio em 2020. Já nos Jogos de Inverno, Eddy foi medalhista de prata na Patinação de velocidade em pista curta - revezamento 5000m em Sochi (2014)

Lance!
Publicidade
Publicidade