PUBLICIDADE

Atletismo brasileiro já treina no Japão para Jogos Olímpicos

Maior parte da delegação nacional está em Saitama, uma das bases de treinos para a competição; modalidade terá primeiras disputas no dia 29

19 jul 2021 15h28
| atualizado às 16h14
ver comentários
Publicidade

A equipe olímpica do atletismo brasileiro, depois de uma longa viagem com paradas em várias partes do mundo, já está no Japão. Mais precisamente na cidade de Saitama, onde estão sendo feitos os últimos treinamentos e a aclimatação para os Jogos Olímpicos de Tóquio, que tem cerimônia de abertura nesta sexta-feira. As disputas desta modalidade começam na noite do dia 29 de julho, no horário de Brasília.

Atletas do revezamento 4x400m misto do Brasil treinam em Saitama (Foto: Wander Roberto/COB)
Atletas do revezamento 4x400m misto do Brasil treinam em Saitama (Foto: Wander Roberto/COB)
Foto: Lance!

Saitama é uma das oito bases de apoio à preparação final dos atletas antes dos Jogos, acordadas pelo Comitê Olímpico do Brasil (COB) com o Comitê Organizador dos Jogos. Ela fica a pouco mais de 32 km da Vila Olímpica de Tóquio. A delegação, que na maioria de seus integrantes viajou do Brasil na última sexta-feira e realizou nesta segunda o primeiro treinamento numa pista pública, disponibilizada para os brasileiros.

"Chegar finalmente aos Jogos Olímpicos é a realização de um sonho. Parte de um sonho, porque para ele ser completo tem que ser com a medalha. Poder estar aqui entre os melhores do mundo é inacreditável para mim. Sempre foi o meu objetivo desde que comecei. E agora o meu maior sonho é voltar com a medalha", afirmou o velocista catarinense Rodrigo Nascimento, que teve de se separar do filho de um mês, em São Paulo, e guarda lembranças muito especiais da primeira passagem por Saitama.

"Tenho muito boas recordações de Saitama. Já estive aqui treinando para o Mundial de Revezamentos de 2019 e conseguimos uma medalha de ouro no 4x100m. Só guardo sentimentos positivos daqueles momentos e agora quero voltar da mesma forma, com mais uma medalha de ouro", relembrou Rodrigo, em referência à histórica vitória da equipe de revezamento em Yokohama no Mundial realizado há dois anos.

Para Ana Cláudia Lemos, que chega a sua quarta participação olímpica, a privacidade e os serviços de alta performance da base em Saitama serão importantes para os ajustes finais dos atletas antes do início dos Jogos.

"Pelo atletismo ser uma delegação com mais de 50 pessoas, a nossa logística seria até mais complicada. Mas todo o suporte está funcionando e tudo fica mais fácil. Não temos nenhuma preocupação além de treinar. Realmente, dentro de tudo que estamos vivendo em relação a protocolos, está impressionante essa estrutura", elogiou a integrante do revezamento 4x100m.

A partir desta terça-feira os treinos acontecem em dois períodos. Em poucos dias, os maratonistas e os marchadores seguem para Sapporo, a 800 quilômetros de Tóquio, onde serão disputadas as provas.

A equipe está seguindo protocolos rigorosos de controle da pandemia da covid-19. Todos os integrantes têm de fazer exames diários de PCR e preencher formulários específicos de saúde, além de seguir todas as determinações do Comitê Organizador dos Jogos Olímpicos.

 

Lance!
Publicidade
Publicidade