0
Logo do Olimpíada 2016
Foto: terra

Olimpíada 2016

Os anunciantes aqui reunidos não possuem relação com os Jogos Rio 2016 e patrocinam apenas este caderno especial.

Bach usa Londres 2012 como exemplo para defender legado do Rio 2016

25 abr 2017
16h45
  • separator
  • comentários

Poucos meses depois da realização dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos do Rio de Janeiro, as instalações que foram realizadas nos eventos pouco são aproveitadas pelo esporte brasileiro. Porém, o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, citou Londres 2012 como exemplo, e exaltou o legado do Rio 2016.

Leia mais:

Nuzman terá cargo na organização dos Jogos de Tóquio 2020

"Há um grande debate sobre o legado deste Jogos. Você pode sentir o legado só estando lá, vendo o transporte, as infraestruturas. Existem relatórios de que nem tudo está sendo usado completamente. A realidade é que em Londres 2012, por exemplo, o Parque Olímpico ficou fechado por um ano e outros centros por dois a três anos, porque você precisa de tempo para adaptar as instalações olímpicas a um novo uso", disse à .

Além disso, Bach voltou a exaltar as Olimpíadas e Paralimpíadas do Rio de Janeiro, que tiveram grande repercussão em todo mundo. O presidente do COI ainda destacou que o País vive um momento delicado economicamente, mas que isso não foi problema para o sucesso dos Jogos.

"Acredito que todos acreditamos que estes Jogos foram um grande sucesso, sob circunstâncias muito difíceis num tempo muito complicado para o Brasil e para o Rio de Janeiro. É importante lembrar que foram os Jogos de maior audiência da história", finalizou o dirigente.

Bach está em Punta Del Este, no Uruguai, participando da Assembleia Geral da Organização Desportiva Pan-Americano (Odepa). Nesta quarta-feira, acontece a eleição presidencial da entidade, e Carlos Arthur Nuzman, presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB) é um dos candidatos.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade