PUBLICIDADE

Hugo Calderano perde para japonês e fica com o bronze no Finals

Revés aconteceu diante do japonês Tomokazu Harimoto, número 5 do mundo

6 dez 2021 18h07
ver comentários
Publicidade

O brasileiro Hugo Calderano foi eliminado nas semifinais do WTT Cup Finals, na Arena OCBC, em Singapura, e ficou com a medalha de bronze na competição que reúne apenas os melhores do ranking mundial. O seu revés aconteceu diante do japonês Tomokazu Harimoto, número 5 do mundo, que venceu o embate em 4 a 1 (6/11, 9/11, 16/14, 11/5 e 11/3) nesta segunda-feira.

Calderano em ação no WTT Cup Finals, em Singapura (Foto: Anne-Christine POUJOULAT / AFP)
Calderano em ação no WTT Cup Finals, em Singapura (Foto: Anne-Christine POUJOULAT / AFP)
Foto: Lance!

O retrospecto era favorável ao japonês. Harimoto venceu três das quatro partidas entre os dois. A única vitória do brasileiro ocorreu no Aberto do Qatar, em 2018, torneio em que terminou com o vice-campeonato, perdendo justamente para Fan Zhendong (adversário do japonês na final do WTT Cup Finals e primeiro no ranking mundial) na decisão.

O caminho de Hugo Calderano (número 4 do mundo) nesta segunda-feira não começou já nas semifinais. Antes, o brasileiro entrou em ação pelas quartas de final diante do nigeriano Quadri Aruna, 13º do ranking, e se mostrou superior, vencendo o pleito por 3 a 1.

No confronto contra Aruna, ambos alternaram os primeiros pontos marcados no jogo. Primeiro, Calderano fez 11 a 6 no set inaugural e, em seguida, o nigeriano devolveu com a mesma moeda. O mesa-tenista do Brasil teve uma performance bem acima nas duas parciais seguintes e não deu chance alguma ao adversário: o terceiro terminou em 11/8 e o quarto em 11/4 para Hugo.

Na semifinal, Harimoto começou o duelo abrindo boa vantagem, mas que Calderano tirou e buscou o empate em 4 pontos a 4. A partir desse momento, o japonês encaixou grandes ataques, o que complicou o jogo do brasileiro: 11 a 6 para o atleta de 18 anos.

Na sequência, a segunda parcial foi bem mais disputada, não houve grandes vantagens no placar para nenhum dos dois adversários, foi comum observar o marcador empatado. Dessa forma, o set seguiu, porém, ao alcançarem 9 a 9, o japonês foi quem conseguiu marcar duas vezes seguidas e fechar em 11 a 9.

Com a desvantagem, o carioca voltou mais agressivo, acertando boas paralelas, variando os seus backhands e forehands. Apesar disso, a partida seguiu parelha, sem grandes margens abertas. Ambos seguiram empatados por bastante tempo e acertando bolas incríveis, porém o brasileiro foi mais consistente e fechou em um 16 a 14. Foi o ponto do atleta no jogo.

O japonês voltou melhor do set perdido. Uma grande vantagem no placar foi vista, algo que não ocorria desde o início do confronto: 7 a 2 para o mesa-tenista do Japão. Quando o brasileiro parecia se recuperar, ele acabou errando um saque, que acabou frustrando uma virada. No final, deu 11 a 5 para Harimoto.

Na sequência, o adversário do carioca abriu 6 a 2 em um ponto adquirido com outro erro de Calderano no saque, o que forçou um pedido de tempo do treinador Jean-René Mounié. Não adiantou. O japonês continuou com o psicológico a seu favor e bateu o número quatro do mundo na parcial por 11 a 3 e no jogo por 4 a 1.

Lance!
Publicidade
Publicidade