PUBLICIDADE

Ginástica

Rebeca Andrade quer estar livre de pressão em Paris: 'Não sou obrigada a voltar com medalha'

Campeã mundial e olímpica na ginástica é um dos principais nomes do Brasil para a Olimpíada

18 mai 2024 - 08h10
(atualizado às 08h10)
Compartilhar
Exibir comentários

Faltando 69 dias para a Olimpíada, a ginasta Rebeca Andrade desabafou sobre o maior evento esportivo do mundo, que irá acontecer em Paris. Sabendo de seu talento e potencial para ir longe nas provas da modalidade, a campeã mundial e olímpica disse que não quer se sentir na obrigação de conquistar medalhas.

"Todo mundo tem expectativa, mas eu gosto de falar que o que as pessoas querem que eu faça ou que eu seja, não está nas minhas mãos. Eu não sou obrigada a voltar com medalhas, mas eu quero medalhas, assim os torcedores também querem", desabafou em entrevista ao portal Olimpíada Todo Dia.

A saúde mental dos atletas foi um dos temas mais comentados durante a Olimpíada de Tóquio. A rival da brasileira, Simone Biles, desistiu da final individual geral da ginástica artística, pois afirmava que não estava com o emocional bom. Em entrevista na época, a americana disse que se sentia estressada e não via mais diversão naquilo que estava fazendo.

Rebeca afirma que a maior vitória para um atleta não deve ser somente a conquista da medalha, mas sim toda a trajetória percorrida para competir no maior evento esportivo do mundo.

"Às vezes, vencer não é só estar no pódio. Você não sabe o que a pessoa precisou passar para estar ali. Bater os seus recordes e vencer a si mesmo diariamente", completou.

Essa será a terceira Olimpíada do principal nome da ginástica do Brasil. Aos 25 anos, Rebeca Andrade foi campeã olímpica em Tóquio na prova de salto e prata no individual geral. Ela também conquistou ouro no Mundial, no salto, em 2021 e 2023.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade