PUBLICIDADE

Arthur Nory e Caio Souza voltam ao Japão para o Campeonato Mundial de ginástica artística

15 out 2021 13h17
| atualizado às 13h17
ver comentários
Publicidade

Pouco mais de dois meses após o encerramento dos Jogos de Tóquio, a ginástica artística do Brasil está de volta ao Japão, desta vez para a realização do Campeonato Mundial. A partir da próxima terça-feira, na cidade de Kitakyushu, Arthur Nory e Caio Souza integrarão o time brasileiro masculino. 

Únicos representantes da seleção entre os homens no Mundial, Nory e Caio chegam ao Japão com expectativa de conquistar resultados históricos. Atual campeão na barra fixa, Arthur busca um novo pódio e superar a campanha olímpica. 

"É muito bom poder voltar ao Japão e fazer meu trabalho da melhor forma possível. Estou feliz também em retornar ao país após minha participação nos Jogos, que foi bem difícil para mim", explicou o atleta nascido em Campinas (SP).

Antes do Mundial de Kitakyushu, o ginasta teve como última etapa de preparação o Campeonato Brasileiro de Clubes, realizado no começo do mês em Aracaju (SE). "Foi muito importante disputar esse Brasileiro para que pudéssemos fazer uma avaliação do nível de preparação, já sentir o clima de arbitragem e pegar o clima de competição. Sempre é uma bagagem a mais para o atleta", disse Nory, que só participará da prova da barra fixa no Japão.

Caio Souza chega para este Mundial embalado por ótimos resultados e pelas belas lembranças de sua participação olímpica. Nos Jogos de Tóquio, o ginasta de Volta Redonda (RJ) participou de duas finais, ficando em oitavo lugar no salto e em 17º no individual geral. No Brasileiro de Clubes, Caio foi o principal nome individual da competição, conquistando sete medalhas no total, sendo seis de ouro.

"Chego para este Mundial com a expectativa de alcançar o melhor resultado possível. A periodização dos treinos foi feita em cima desta competição, embora tivesse a disputa do Brasileiro antes, mas tudo foi pensando para chegarmos no Japão na melhor forma possível. Isso acabou fazendo com que o resultado no Brasileiro fosse melhor do que estávamos esperando e permitiu que conquistássemos tantas medalhas", explicou Caio, que em Kitakyushu participará dos seis aparelhos (solo, salto, cavalo com alças, argolas, barra fixa e paralelas).

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade