0

Falcão se despede do futsal com derrota para o Corinthians

Apesar da perda do título, o agora ex-jogador destacou o sentimento de dever cumprido: "foi do jeito que tinha de ser"

6 dez 2018
23h56
atualizado em 7/12/2018 às 07h41
  • separator
  • comentários

Maior jogador de futsal de todos os tempos, Falcão se despediu do esporte nesta quinta-feira (6), pelo Sorocaba, na final da Liga Paulista. O título não veio, ficou com o Corinthians, que perdeu no tempo normal por 5 a 3 e segurou o empate sem gols na prorrogação - havia vencido por 7 a 3 no primeiro jogo -, mas o craque se despediu com o sentimento de dever cumprido.

"Foi do jeito que tinha de ser. O quase faz parte do esporte. Poderíamos ter feito o gol naquele último lance. Não faltou entrega, lutamos bastante. Foi uma sensação boa. Quando acabou o jogo eu sorrindo, apesar da derrota", afirmou Falcão. "O sentimento é de dever cumprido", encerrou.

Falcão, jogador do Sorocaba, se despede do futsal em partida contra o Corinthians, válida pela final da Liga Paulista de Futsal 2018
Falcão, jogador do Sorocaba, se despede do futsal em partida contra o Corinthians, válida pela final da Liga Paulista de Futsal 2018
Foto: DJALMA VASSÃO / Gazeta Press

Logo no início da partida, o árbitro Emerson Fernandes Rorato machucou o joelho após o pivô Douglas Nunes cair em sua perna. Como os mesários não assumiram o apito, o jogo ficou paralisado por 1h15, até a chegada de Felipe Ventura para arbitrar o confronto. Com o reinício do jogo, Sorocaba foi um time totalmente diferente daquele que perdeu em casa há uma semana por 7 a 3, enquanto o Corinthians não teve a mesma eficiência na marcação.

Com isso, Leandro Lino abriu o placar, de cabeça, para o time do interior. Caio empatou para o Corinthians, mas Rodrigo e Falcão colocaram Sorocaba à frente. O domínio do Sorocaba aumentou com Eder Lima e Leandro Lino, mais uma vez. O Corinthians diminuiu a vantagem com os gols de Vander Carioca e Wilde.

A decisão do título foi para a prorrogação, com a disputa de dois tempos de cinco minutos. A primeira parte foi intensa e repleta de lances perigosos dos dois lados, mas o placar não foi alterado. O segundo tempo extra começou eletrizante. O goleiro Obina, do Corinthians, chutou do seu gol e Leandro Lino salvou de forma sensacional.

Falcão durante a segunda partida que marcou o encerramento de sua carreira
Falcão durante a segunda partida que marcou o encerramento de sua carreira
Foto: DJALMA VASSÃO / Gazeta Press

No lance seguinte, Eder Lima cometeu falta e levou cartão vermelho. O Sorocaba ficou dois minutos com um jogador a menos. A 1min28 do fim, Foglia teve grande chance, mas errou o alvo. O jogo seguiu espetacular até o fim com os dois times perdendo grandes chances para marcar.

O placar de 0 a 0 na prorrogação garantiu o 12º título paulista para o Corinthians. A quadra foi invadida por centenas de torcedores, que festejaram com os jogadores.

"Foi mais sofrido do que a gente imaginava, mas é como o torcedor corintiano gosta. Ganhamos na despedida do Falcão, no nosso ginásio, diante da nossa torcida, que fez uma grande festa", disse Deives.

Veja também:

 

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade