PUBLICIDADE

Novo Endrick: Palmeiras tira fenômeno da base do Corinthians por R$ 200 mil

Lucas Flora, de apenas 10 anos, está trocando time do Parque São Jorge pelo rival

5 jun 2024 - 11h28
(atualizado às 14h17)
Compartilhar
Exibir comentários
Lucas Flora, fenômeno de apenas 10 anos, trocou o Corinthians pelo Palmeiras
Lucas Flora, fenômeno de apenas 10 anos, trocou o Corinthians pelo Palmeiras
Foto: Reprodução/Instagram

O Palmeiras tirou da base do Corinthians o jovem Lucas Flora, de apenas 10 anos, considerado um fenômeno na sua categoria e comparado a Endrick. A informação foi revelada por Claudinei Alves, diretor das categorias de base do clube alvinegro, nesta terça-feira, 4, em entrevista ao "Podpé", podcast do ex-jogador Marcelinho Carioca. O Estadão apurou com fontes ligadas ao rival, que confirmaram a chegada do menino aos juniores do time alviverde.

Lucas Flora começou a chamar atenção pelas atuações neste ano, com vídeos do garoto impressionando torcedores nas redes sociais. Segundo Claudinei Alves, à frente da base alvinegra desde o início do mandato de Augusto Melo, foi oferecido ao menino primeiramente um salário de R$ 3 mil e o mesmo valor de auxílio moradia, além de o clube bancar custos com escola e convênio médico, totalizando uma despesa de R$ 10 mil mensais. Posteriormente, a diretoria subiu a proposta salarial para R$ 7 mil, mas não houve resposta.

"Nunca vimos uma situação dessa. O garoto é corintiano. No dia que ele foi lá (no clube) ele ficou super emocionado. Nós mostramos o projeto que íamos fazer com ele. O Corinthians agiu até onde pôde", disse Claudinei sobre a situação de Flora, que já é patrocinado pela Nike.

"Eu não paguei luvas para nenhum atleta de base, nem para os que foram no profissional. A família do Bidon queria luvas. Normal, mas me comprometi a eles que se um dia eu pagasse a alguém, eles poderiam vir aqui cobrar o milhão deles. Não podemos onerar o clube com esse tipo de despesa. (Lucas Flora) é craque? Hoje é, mas o Fabrício Oya também era", disse o dirigente, em referência a ex-joia alvinegra, atualmente no modesto Azuriz-PR.

O Estadão apurou que a recente trajetória vitoriosa do Palmeiras nas categorias de base pesou na escolha do atleta e sua família pelo rival. Nas redes sociais, o caso foi comparado ao de Estêvão, de 17 anos, cujo os primeiros passos foram dados na Academia de Futebol antes de ir para o Cruzeiro. Em 2021, divergências de contrato com o clube mineiro fizeram o atleta retornar a SP, aos 14, para vestir novamente a camisa palmeirense, gerando críticas da diretoria celeste.

Os mineiros citaram João Paulo Sampaio, gerente do Centro de Formação de Atletas do Palmeiras, como o principal motivador da saída de Estevão da Toca da Raposa. Os paulistas se defenderam, afirmando que o atleta poderia ter escolhido propostas mais vantajosas, mas decidiu pela Academia de Futebol pelo projeto apresentado à época. Titular com Abel Ferreira, o atacante está sendo negociado com o Chelsea, da Inglaterra, por 40 milhões de euros (R$ 223 milhões) e mais 25 milhões de euros (R$ 140 milhões) variáveis por objetivos.

Vale ressaltar que acordos celebrados com jovens antes dos 14 anos não têm validade desportiva e são mera formalidade. Isso porque a legislação brasileira só permite vínculo a partir da idade citada, e contratos profissionais a partir dos 16 anos. Assim, Lucas Flora, por exemplo, ainda poderia trocar o Palmeiras por outro clube sem a necessidade de multa.

Estadão
Compartilhar
Publicidade
Seu Terra












Publicidade