1 evento ao vivo

Times brasileiros caíram 15 vezes nos grupos da Libertadores

Atlético-MG e Grêmio lutam para fugir do vexame

23 abr 2019
13h44
atualizado às 14h15
  • separator
  • comentários

Atlético-MG e Grêmio entram em campo nesta semana pela Copa Libertadores para tentarem evitar um raro vexame do futebol brasileiro na competição. Os dois times correm risco de serem eliminados ainda na fase de grupos do torneio. Desde a adoção do atual formato da competição, em 2000, com os participantes divididos em grupos de quatro adversários e com dois classificados em cada chave, somente em 15 ocasiões um representante do Brasil foi eliminado. Esse número representa apenas 18% do total de 98 participações de times nacionais registradas até 2018.

Para evitar a queda precoce, o Atlético-MG recebe nesta terça-feira o Nacional, do Uruguai, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte. Se não vencer, a equipe estará eliminada. O clube alvinegro demitiu recentemente o técnico Levir Culpi e enquanto é dirigido pelo interino Rodrigo Santana, negocia para trazer Rogério Ceni, que desde o ano passado comanda o Fortaleza.

Michel, do Grêmio, lamenta derrota da equipe ao final da partida contra o Libertad, válida pelo Grupo H da Copa Libertadores, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Michel, do Grêmio, lamenta derrota da equipe ao final da partida contra o Libertad, válida pelo Grupo H da Copa Libertadores, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)
Foto: Max Peixoto / Dia Esportivo / Estadão

Já o Grêmio entra em campo nesta terça-feira no Paraguai contra o Libertad. O time gaúcho pode ser eliminado ainda nesta rodada caso não vença e no outro jogo do grupo, nesta quarta, a Universidad Católica derrote o Rosário Central na Argentina.

A situação complicada dessas equipes é uma exceção na história recente do País na competição. Das 15 eliminações concretizadas na fase de grupos da competição, a maior quantidade foi contabilizada em 2014. Naquela temporada, Athletico-PR, Botafogo e Flamengo não conseguiram superar os rivais e não chegaram a disputar as oitavas de final.

O time rubro-negro do Rio de Janeiro, aliás, é o clube brasileiro que mais vezes se despediu da competição na fase de grupos. De 2000 para cá, o Flamengo caiu quatro vezes: 2002, 2012, 2014 e 2017. De todas essas ocasiões, a mais traumática foi a de 2012. Depois de vencer o Lanús por 3 a 0 no estádio do Engenhão e comemorar a vaga, a equipe soube a caminho do vestiário que o Emelec havia vencido o Olimpia, no Paraguai, com um gol nos acréscimos. A combinação selou a queda do time de Ronaldinho Gaúcho.

Sem contar quedas na pré-Libertadores - como as do Corinthians, em 2011, Chapecoense, em 2018, e a do São Paulo, neste ano -, o futebol brasileiro amargou fracassos surpreendentes na fase de grupos. O Palmeiras em 2016, por exemplo, chegou ao torneio como campeão da Copa da Brasil e com reforços renomados, porém acabou superado por Rosario Central e Nacional, do Uruguai.

Uma outra decepção foi o Internacional. Em 2007, o então atual campeão da Libertadores e do Mundial de Clubes da Fifa deu adeus bem cedo à Libertadores. Times que ganharam a Copa do Brasil no papel de zebras, como os casos de Santo André e Paulista, também tiveram vida curta na competição continental e não chegaram a jogar a fase de grupos.

Confira os times brasileiros eliminados na fase de grupos da Libertadores desde 2000:

2018 - Vasco

2017 - Flamengo e Chapecoense

2016 - Palmeiras

2015 - Nenhum

2014 - Athletico-PR, Botafogo e Flamengo

2013 - Nenhum

2012 - Flamengo

2011 - Nenhum

2010 - Nenhum

2009 - Nenhum

2008 - Nenhum

2007 - Internacional

2006 - Paulista

2005 - Santo André

2004 - Coritiba

2003 - Nenhum

2002 - Athletico-PR e Flamengo

2001 - Nenhum

2000 - Juventude

Veja também:

Estadão

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade