0

Jardine celebra parceria com Dorival e prevê sucesso da base em 2018

27 dez 2017
14h30
atualizado às 21h38
  • separator
  • 0
  • comentários

Quando assumiu o comando técnico do São Paulo, em julho, Dorival Júnior avisou que daria mais atenção às categorias de base assim que livrasse o time do rebaixamento no Campeonato Brasileiro. Após cumprir a missão, avançou na integração de alguns jovens valores de Cotia ao levá-los para o CCT da Barra Funda e relacioná-los para os últimos dois jogos do ano.

São eles Igor Gomes, Paulo Boia, Liziero, Bissoli e Gabriel Sara, sendo que os dois últimos tiveram a oportunidade de estrear pelo time principal no empate com o Bahia, no Morumbi. O processo de transição dos atletas é intermediado por André Jardine, treinador da equipe sub-20, que considera bem-sucedida a parceria com Dorival.

"Temos um entrosamento muito legal com o Dorival e toda sua comissão. A gente vai entendendo as ideias do treinador, vai se adaptando, como foi com o Rogério Ceni, e o abastecendo com as informações precisas dos atletas que podem subir e dos que precisam de um tempo maior", afirmou o treinador, nesta quarta-feira, após dirigir o treino da equipe sub-20, no CT de Cotia.

Natural de Porto Alegre, o técnico de 38 anos torce pelo sucesso de Dorival no time principal, já que, segundo sua avaliação, trocas no comando prejudicam o trabalho junto às categorias de base. "Atrapalha um pouco, não tem como negar", admitiu.

"Leva um tempo para criarmos uma sintonia grande e quando se troca muito (de técnicos) obviamente temos que começar da estaca zero. O São Paulo tem tudo para ter uma longa era com o Dorival e já estamos colhendo frutos. Hoje, ele já tem usado e conhece muito bem a base. Espero que seja só o início de um trabalho duradouro", desejou.

Com pouco fluxo de caixa, o São Paulo deve recorrer às categorias de base para complementar o elenco principal em 2018. Até o momento, o clube só garantiu dois reforços: Jucilei, adquirido em definitivo, e o goleiro Jean, ex-Bahia. Jardine, contudo, garante preencher as lacunas do profissional com qualidade.

"Temos convicção que sim (que garotos sejam promovidos em 2018). Não só pelo momento do clube, que não tem dinheiro para contratar todos os atletas que quer. Mas eu diria que, pela qualidade que temos aqui e com o trabalho que tem sido feito em Cotia, torna-se obrigatório o clube usar os meninos em cima porque seria um desperdício muito grande", ressaltou.

"Acredito que tenham jogadores daqui da base que deem mais retorno do que jogadores contratados a peso de ouro. Torcemos muito para que, quando os meninos ganhem as oportunidades, consigam trabalhar com naturalidade, que não sintam a pressão, que consigam desenvolver o jogo que desenvolvem aqui, porque é uma fórmula que tem tudo para dar certo", encerrou.

A primeira oportunidade de os garotos mostrarem serviço a Dorival ocorrerá na Copa São Paulo de Futebol Júnior, em janeiro. O Tricolor integra o Grupo 10 da competição sub-20, junto a Botafogo-SP, Sergipe e Cruzeiro-DF, contra quem estreia no dia 3, às 19h15 (de Brasília), em Ribeirão Preto.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade