1 evento ao vivo

Suárez teve acesso prévio a prova de italiano, diz MP

Investigadores também cogitam envolvimento da Juventus

4 dez 2020
09h20
atualizado às 09h34
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O atacante uruguaio Luis Suárez, do Atlético de Madrid, teve acesso prévio ao conteúdo de uma prova de idioma para tirar cidadania italiana em setembro passado, quando tentava se transferir para a Juventus, de acordo com o inquérito conduzido pelo Ministério Público de Perúgia.

Luis Suárez tentou se transferir para a Juventus, mas acabou indo para o Atlético de Madrid
Luis Suárez tentou se transferir para a Juventus, mas acabou indo para o Atlético de Madrid
Foto: ANSA / Ansa

Suárez, 33 anos, fez o exame de italiano em 17 de setembro, na Universidade para Estrangeiros de Perúgia, um dos principais centros de ensino do idioma no país.

Na época, o MP e a Guarda de Finanças investigavam, desde fevereiro, supostas irregularidades nos processos de cidadania envolvendo a instituição e acabaram gravando conversas telefônicas que indicavam uma possível fraude no exame de Suárez.

Segundo nota divulgada pelo Ministério Público nesta sexta-feira (4), o conteúdo da prova foi "previamente comunicado" ao uruguaio pela universidade, que chegou a "pré-determinar o êxito e a pontuação do exame para corresponder aos pedidos que haviam sido feitos pela Juventus".

Suárez, que é casado com uma cidadã italiana, poderia obter a nacionalidade caso comprovasse conhecimento ao menos intermediário (nível B1) do idioma. Essa etapa era crucial para garantir sua transferência para a Juventus, que não pode mais contratar extracomunitários nesta temporada devido às chegadas do brasileiro Arthur e do americano McKennie.

Ainda de acordo com o MP de Perúgia, "a direção do clube de Turim se movimentou nos primeiros dias de setembro, inclusive nos máximos níveis institucionais, para acelerar o reconhecimento da cidadania italiana para Suárez".

Segundo a nota, isso abre novas hipóteses de crimes cometidos por "sujeitos de fora da universidade", mas essa linha de investigação ainda carece de "aprofundamentos". O MP de Perúgia é chefiado pelo procurador Raffaele Cantone, uma conhecida autoridade anticorrupção na Itália.

Por conta do inquérito, a reitora da universidade, Giuliana Grego Bolli, foi proibida preventivamente de exercer cargos públicos por oito meses, assim como o diretor-geral Simone Olivieri e os professores Stefania Spina e Lorenzo Rocca. Eles são suspeitos de violação de sigilo oficial para fins financeiros e falsidade ideológica em documentos públicos.

Como não haveria tempo de concluir o processo de cidadania antes do fechamento da janela de transferências, a Juventus acabou desistindo de Suárez e acertou com o espanhol Álvaro Morata. Já o uruguaio trocou o Barcelona pelo Atlético de Madrid.

Ansa - Brasil   
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade