PUBLICIDADE

Bélgica se fecha, elimina Portugal de Cristiano Ronaldo e pega Itália nas quartas da Eurocopa

Thorgan Hazard faz o único gol do jogo e garante belgas na próxima fase; artilheiro do torneio, atacante português dá adeus

27 jun 2021 18h35
| atualizado às 18h57
ver comentários
Publicidade

A Bélgica adotou uma postura cautelosa neste domingo, diante de Portugal, atual campeão da Eurocopa, e contou com um lance de talento de Thorgan Hazard para bater o adversário por 1 a 0, em partida válida pelas oitavas de final do torneio continental. O triunfo sobre Cristiano Ronaldo e seus companheiros define a seleção comandada por Roberto Martínez como adversária da Itália nas quartas de final.

Com isso, os belgas voltam a campo na próxima sexta-feira, quando jogam contra os italianos, na Allianz Arena, em Munique, por vaga nas semifinais. Já os campeões de 2016 voltam para casa, lamentando o fim do sonho da conquista do bicampeonato e com um astro do torneio dando adeus: CR7, maior artilheiro da disputa, com 14 gols.

Apesar da presença de estrelas nas duas escalações, o primeiro tempo não foi dos mais animados. Após finalizações ruins para ambos os lados, a emoção só se materializou em La Cartuja aos 24 minutos, quando Cristiano Ronaldo bateu falta com muita força e obrigou o goleiro Courtois a fazer grande defesa para salvar a Bélgica. A partir daí, Portugal conseguiu exercer certo domínio, embora sem intensidade e criatividade.

Ainda menos intensa e criativa, a Bélgica encontrava bastante dificuldade para cavar espaço na defesa portuguesa. Um lance de talento de Thorgan Hazard, contudo, garantiu que o time fosse para o intervalo com a vantagem no placar. Aos 41 minutos, o meia do Borussia Dortmund, irmão de Eden Hazard, acertou uma pancada de fora da área e viu a bola morrer dentro da rede. A bola fez curva e enganou o goleiro português.

Atrás no marcador, Portugal voltou para o segundo tempo marcando presença no campo de ataque e conseguiu pressionar o adversário durante os primeiros 15 minutos, mas faltou qualidade na definição das jogadas. Enquanto isso, os belgas seguiram retraídos, aparentemente sem interesse em se aventurar no campo de defesa português.

O tempo correu sem mudanças significativas nessa configuração: Portugal atacando sem encontrar espaços e Bélgica dedicada a segurar o resultado. Perto do final, a seleção portuguesa, enfim, conseguiu converter a posse de bola em chances mais claras de gol. Entre os 36 e 37 minutos, Courtois defendeu cabeceio forte de Rúben Dias e Raphael Guerreiro acertou o travessão, após chute rasteiro. O goleiro belga ainda trabalhou aos 42 minutos, para evitar gol de André Silva, e garantiu a classificação.

Estadão
Publicidade
Publicidade