PUBLICIDADE

Neymar rebate críticas que sofre por sua vida fora dos gramados: 'Me deixa'

Astro do PSG e da seleção brasileira garante que seus compromissos sociais não prejudicam o desempenho nos campos pelo mundo

28 out 2021 21h13
| atualizado às 21h13
ver comentários
Publicidade

Neymar rebateu as críticas que sofre por sua vida fora dos gramados. Perto de completar 30 anos - faz aniversário em fevereiro -, o craque da seleção brasileira e do Paris Saint-Germain, em entrevista ao canal "Fui Clear", disse que sua vida social não prejudica o desempenho nos campos pelo mundo.

"Aí eu fui para uma festa, conheci alguém muito famoso, e falam: 'O Neymar saiu, Neymar é baladeiro, não pode ir para a festa'. Não, eu saio quando eu posso. Saio quando dá. Quando eu sei que não vou treinar no dia seguinte. Eu não vou deixar de fazer nada. Sempre falei isso. Tem que me cobrar com o que eu faço dentro de campo", disse o astro.

Neymar admitiu que sua enorme vontade de vencer dentro de campo acaba causando um desequilíbrio emocional em algumas partidas. "São dois tipos de pessoa. Em campo, às vezes acho que me transformo. Quero ganhar de qualquer jeito. Tenho meus erros, óbvio. Já errei muito mais, se pudesse mudar algumas coisas, óbvio que tomaria outras atitudes. Mas a maturidade vai vindo, não quer dizer que com 30 anos eu esteja praticamente perfeito, maduro. Quero deixar meu legado nesse sentido."

Com relação à seleção brasileira, o atleta considerou que o time do técnico Tite está mais preparado para tentar a conquista da Copa do Mundo no Catar no ano que vem. "Acredito que essa seja uma Copa para surpreender, a gente sabe o quão é difícil ganhar uma Copa. É o meu sonho maior. Acho que a gente está se preparando, temos uma boa equipe, temos um bom treinador. Estamos nos preparando cada vez mais para que a gente possa nos ajustar. Para essa Copa, a gente está indo mais preparado psicologicamente, mentalmente. Acho que tem tudo para a gente surpreender."

Neymar revelou que a derrota para a Bélgica nas quartas de final no Mundial da Rússia, em 2018, causou um trauma. Aquela derrota me machucou muito. Me machucou de verdade. Fiquei uma semana em casa sem sair. Não queria ver ninguém. Mas isso acontece. Faz parte do futebol. Jogamos melhor. Perdemos duas, três bolas, que eles acabaram fazendo o gol. Teve pênalti no Jesus (não marcado)."

O camisa 10 afirmou não se abalar com as críticas sofridas pela seleção, principalmente quando são feitas comparações com times do passado. "Futebol mudou muito. Não é o de antes. Os jogadores têm perfis diferentes. Temos bons jogadores, que são Top na Europa. Mas são perfis diferentes do que tínhamos antigamente. Não dá para comparar. Mas futebol é feito de comparações. Não tem o que fazer. Se joga bonito e perde, vão cobrar a vitória. Se joga bem e ganha no básico, a galera pede para jogar bonito. Não dá para agradar todos. Então fica quietinho que é melhor, porque um lado não vai gostar."

Neymar confia no poder do futebol brasileiro criar grandes jogadores de tempos em tempos. "O Brasil é um país que gera muitos jogadores. Acho que a qualquer momento podem surgir. O Brasil não vai acabar assim. Torço para que venham mais, a gente tem meninos novos agora na Seleção, como Vinicius e Rodrygo, que acho que são jogadores que podem crescer muito mais."

Sobre o momento atual do PSG, Neymar disse que sabe do poder da equipe, que conta com Messi e Mbappé, ressalva que o coletivo é mais importante que o individual e projeta a conquista de títulos. "Óbvio que o PSG se reforçou muito bem. Vieram jogadores de muita qualidade, campeões que para nós é um prazer muito grande tê-los no nosso time, mas futebol é jogado. Não importa os nomes que você tenha na nossa equipe. A gente sabe do nosso potencial, sabe da equipe que a gente tem hoje. Mas se a gente não jogar junto, não trabalhar junto, se esforçar um pelo outro, as coisas não vão acontecer. Como equipe, a gente tem que se fechar mais para que isso possa acontecer. A gente está se conhecendo cada vez melhor, e tem tudo para a gente fazer uma grande temporada e conquistar os títulos que a gente almeja."

Por fim, o astro ainda falou da relação que tem com o pai, que também é seu empresário. "Cada um confia em quem quer. Muitos jogadores acabaram sofrendo por conta de empresários. A pessoa que mais confio no mundo é meu pai. Desde pequeno ele conduziu isso, por que não pode conduzir agora? Vejo problema nenhum (pai ser empresário). Hoje, além de ser meu pai, é um dos meus melhores amigos. Relação que a gente tem é maravilhosa. Não dá para explicar o motivo, o porquê da galera ficar p... por causa disso, por ele ser meu empresário. Cada um escolhe o empresário que quer, ué? Eu escolhi meu pai. Me deixa."

Estadão
Publicidade
Publicidade