0

Guarani não supera tabu, perde para o Vila Nova e despenca na Série B

3 jun 2017
18h41
atualizado às 18h41
  • separator
  • 0
  • comentários

O Guarani mais uma vez provou que tem uma enorme dificuldade de jogar no estádio Serra Dourada. Na tarde desse sábado, apesar da boa fase no Campeonato Brasileiro da Série B, o Bugre acabou sendo derrotado pelo Vila Nova por 3 a 1. Desde 2002 os campineiros não sabem o que é sair de Goiânia com os três pontos. Agora são 12 derrotas e três empates nesse período.

A manutenção do tabu fez com que o Guarani despencasse na tabela de classificação. Antes integrante do G4, o time comandado por Vadão agora é oitavo, com seis pontos. Já o Vila Nova, que não vencia há duas rodadas, se recuperou e saltou da 11ª para a terceira colocação, empatado com o Juventude, com sete pontos.

Apesar da boa fase, o Guarani teve muita dificuldade de encaixar seu jogo desde os primeiros minutos. Comandados pelo meia Alan Mineiro, ex-Corinthians, o Vila Nova tomou a iniciativa e com toques rápidos no ataque, aos poucos, foi encurralando o Bugre em seu próprio campo de defesa.

Aos 15 minutos, por pouco o Vila não abriu o placar com Alipio, que tabelou na entrada da área com Mateus Anderson e mandou a bomba. A bola explodiu no travessão. Dois minutos depois, Alan Mineira quase marcou um golaço. A bola passou perto do gol de Leandro Santos, que ainda teve de mostrar todo seu reflexo para manter o 0 a 0 no placar aos 20 minutos, em finalização de Wallyson

O gol parecia questão de tempo, mas, quem acabou tendo a melhor oportunidade de abrir o placar foi o Bugre. Aos 32, Eliandro saiu cara a cara, driblou o goleiro Elisson e bateu para o gol vazio. Mas, Brunão conseguiu chegar a tempo e evitar o gol ao tirar a bola já em cima da linha. Uma oportunidade de ouro desperdiçada pelos paulistas.

A jogada assustou os donos da casa e animou os campineiros, que em seguida de novo estiveram perto de marcar, dessa vez após cabeçada de Genilson, que Elisson espalmou para escanteio.

E justamente quando o Guarani era melhor, o Vila Nova foi lá e estufou as redes. Mateus Anderson recebeu com muita liberdade dentro da área, girou e bateu sem chances para Leandro Santos. Um belo gol no Serra Dourada.

E para complicar de vez a situação do Bugre, o zagueiro Wesley Matos aproveitou o relaxamento da defesa alviverde em cobrança de escanteio e ampliou antes dos times se dirigirem aos vestiários.

Na etapa final, o Guarani precisava de uma reação espetacular, mas ficou claro que o dia era mesmo dos goianos nesse sábado. Logo aos sete minutos, Alan Mineira tumultuou a defesa campineira. A bola rebotou e sobrou limpa para Geovane, que chutou sem chances para Leandro Santos.

É bem verdade que o Guarani não se entregou e conseguiu criar duas chances claras de gol na sequência, mas a falta de pontaria pesou contra os visitantes. Aos 30, depois de bola alçada na área, o zagueiro Diego Jussani ainda descontou de cabeça, mas era pouco. Final de jogo e vitória do Vila Nova em um grande jogo pela Série B.

Na próxima rodada o Guarani recebe o Boa Esporte no Brinco de Ouro da Princesa, terça, às 19h15, enquanto o Vila Nova vai visitar o Luverdense na Arena Pantanal, também na terça, mas às 21h30, sempre em horário de Brasília).

FICHA TÉCNICA

VILA NOVA 3 x 1 GUARANI

Local: Estádio Serra Dourada, em Goiânia (RJ)

Data: 03 de junho de 2017, sábado

Horário: 16h30 (Brasília)

Árbitro: Nielson Nogueira Dias (PE)

Assistentes: Bruno Cesar Chaves Vieira (PE) e Francisco Chaves Bezerra Júnior (PE)

Cartões amarelos: VILA NOVA: Brunão, Gastón Filgueira. GUARANI: Claudinho

Público: 2.718 pessoas

Renda: R$ 26.310,00

GOLS:

VILA NOVA: Mateus Anderson, aos 42, e Wesley Matos, aos 47 minutos do 1T. Geovane, aos 7 minutos do 2T.

GUARANI: Diego Jussani, aos 30 minutos do 2T.

VILA NOVA: Elisson; Maguinho, Wesley Matos, Brunão e Gastón Filgueira; Geovane, Jajá (PH), Alípio (Heitor) e Alan Mineiro; Mateus Anderson e Wallyson (Marcos Paulo).

Técnico: Hemerson Maria

GUARANI: Leandro Santos; Lenon, Genilson, Diego Jussani e Salomão; Evandro e Auremir; Bruno Nazário, Fumagalli (Edinho) e Claudinho (Juninho); Eliandro (Caíque).

Técnico: Oswaldo Alvarez

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade