3 eventos ao vivo

Dupla é cortada da Inglaterra após levar mulheres no hotel

Jovens de 20 e 18 anos, respectivamente, estrearam na equipe nacional durante a vitória por 1 a 0 sobre a Islândia, no sábado

7 set 2020
15h04
atualizado às 15h21
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Os jogadores Phil Foden e Mason Greenwood foram expulsos da concentração da seleção da Inglaterra, nesta segunda-feira, por quebrarem os protocolos de saúde e segurança impostos pelas autoridades da Islândia na prevenção contra o coronavírus, ao terem um vídeo publicado nas redes sociais no qual aparecem com duas mulheres no quarto do hotel da concentração, em Reykjavík, capital islandesa.

Foden e Greenwood
Foden e Greenwood
Foto: Carl Recine / Reuters

Foden e Greenwood fizeram sua estreia na seleção na vitória por 1 a 0 sobre a Islândia, sábado, na Liga das Nações. Foden começou como titular e acabou substituído aos 23 minutos do segundo tempo por Danny Ings, enquanto Greenwood entrou no lugar de Harry Kane aos 33 minutos da etapa final. Cortados, os dois não vão enfrentar, nesta terça-feira, a Dinamarca, e terão de se apresentar aos seus clubes.

"Infelizmente esta manhã descobri que dois dos rapazes violaram as instruções sobre não deixar a bolha", disse o técnico inglês Gareth Southgate. "Nós tivemos que agir imediatamente para que eles não tivessem interação com outros membros da seleção e, desta forma, não poderão seguir no grupo. Eles foram ingênuos."

Greenwood é um atacante de 18 anos que joga no Manchester United, enquanto Foden, de 20 anos, atua pelo Manchester City. "Estamos muito certos de que nenhum outro membro de nossa delegação esteve em contato com eles. É por isso que eles não poderiam estar no café da manhã ou participar do treinamento. Temos de seguir firmes no cumprimento de todas as diretrizes", afirmou Southgate.

A direção do Manchester United emitiu uma nota na qual diz estar "desapontada" com a conduta de Greenwood, enquanto o City afirmou ser uma atitude "totalmente imprópria" de Foden.

Uma das garotas deu entrevista para o portal DV, da Islândia, mas não quis se identificar. "Nós não tínhamos ideia sobre essas regras ou protocolos e eles não disseram que não podíamos fazer imagens."

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade