0

Fifa publica estudo da Copa e vê Brasil "deplorável" nos 7x1

15 ago 2014
10h22
atualizado às 10h29
  • separator
  • comentários

Com pouco mais de um mês decorrido desde o final da Copa do Mundo de 2014, a Fifa publicou nesta sexta-feira o relatório técnico oficial da competição, documento com análises, estatísticas e comentários sobre os 64 jogos. E a entidade não poupou a Seleção Brasileira ao falar sobre a derrota po 7 a 1 para a eventual campeã Alemanha na semifinal, usando termos como "deplorável" e "incompreensivelmente pobre" para descrever a atuação do time de Felipão.

<p>Brasil teve problemas de coordena&ccedil;&atilde;o defensiva, segundo an&aacute;lise da Fifa</p>
Brasil teve problemas de coordenação defensiva, segundo análise da Fifa
Foto: David Gray / Reuters

No texto sobre o Brasil, a Fifa afirma que "os donos da casa não foram convincentes com seu jogo ofensivo e tiveram problemas de coordenação na defesa", mas "sobreviveram à fase de grupos sem problemas". Contra o Chile (vitória nos pênaltis após empate por 1 a 1), nas oitavas de final, a Seleção precisou de "nervos de aço e uma atuação impressionante do goleiro Júlio César", mas a equipe subiu de nível contra a Colômbia, nas quartas (vitória por 2 a 1).

A federação também destacou que na partida contra a Alemanha o Brasil estava sem dois de seus jogadores-chave: Neymar, lesionado, e Thiago Silva, suspenso, não puderam atuar. Na análise da semifinal, a Fifa diz que a Seleção "praticamente desapareceu do campo" nos sete minutos em que os europeus marcaram quatro gols no primeiro tempo, "movendo-se à vontade e golpeando sem trégua". No segundo tempo, o Brasil melhorou, mas o goleiro Neuer "reagiu brilhantemente", segundo o texto.

No final, o relatório também faz uma análise de cada Seleção. No caso do Brasil, os pontos fortes foram a marcação pressão, a força nas bolas paradas, os contra-ataques rápidos e a boa técnica individual de alguns jogadores. Já os atletas de mais destaque foram Neymar, Thiago Silva e David Luiz.

Fonte: Terra

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade