PUBLICIDADE

Zagueiro do Brusque comunica injúria racial sofrida durante jogo com Brasil de Pelotas

30 set 2021 13h38
| atualizado às 13h38
ver comentários
Publicidade

O zagueiro Sandro, do Brusque, comunicou na quarta-feira, durante jogo contra o Brasil de Pelotas pela Série B, que sofreu um ato de injúria racial de um torcedor do clube gaúcho no início do 2º tempo. O lateral Edilson também falou com o árbitro Jonathan Antero Silva, que registrou o ocorrido na súmula da partida. Nesta quinta-feira, os clubes se pronunciaram oficialmente.

"Relato que a equipe de arbitragem foi informada pelos atletas do Brusque FC, sr. Sandro Silva de Souza e sr. Edilson Jose da Silva Junior que foram ofendidos por injuria racial por um torcedor da equipe do GE Brasil, identificado como Douglas Menezes pela polícia militar. Informo que após o jogo as partes foram conduzidas para o plantão policial para as devidas providencias", informa o documento da CBF.

Já nesta quinta-feira, a equipe catarinense publicou um texto em suas redes sociais, afirmando que Sandro foi chamado de "negro desgraçado" pelo torcedor.

"Durante o segundo tempo da partida entre Brasil de Pelotas e Brusque Futebol Clube, que aconteceu na última quarta-feira (29), um torcedor do Brasil de Pelotas cometeu ato de racismo, ao chamar o zagueiro Sandro de 'negro desgraçado'. O torcedor foi detido pelas autoridades policiais e o fato foi relatado na súmula do jogo. O Clube lamenta profundamente o episódio, informa que dará o apoio necessário ao atleta e tomará todas as medidas cabíveis", diz o comunicado.

O Brasil de Pelotas também se pronunciou: "As cores do Brasil são e sempre serão o nosso sangue e a nossa raça. Assim, o Clube vem a público dizer que repudia qualquer ato de injúria ou manifestação que tenha por objetivo discriminar qualquer pessoa, seja pelo motivo que for, principalmente em razão da cor de sua pele."

"Lamentamos os fatos que vêm sendo veiculados nos meios de comunicação, os quais, serão apurados internamente com o objetivo de comprovar sua existência e, sendo necessário, identificar os envolvidos, colaborando com todo esforço para que não se repitam. Desde já fica a solidariedade do Clube, de sua Diretoria e de sua Torcida a toda pessoa que, por qualquer motivo, sofreu ou venha a sofrer discriminação em razão se sua cor ou raça", completou.

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) ainda não se pronunciou até o início de tarde desta quinta-feira.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade