1 evento ao vivo

Presidente do Fluminense revela que clube recebeu R$ 36,5 milhões pela venda de Pedro

Em evento para comemorar cem dias de gestão, Mário Bittencourt diz que negociações ajudam a diminuir dívidas

18 set 2019
16h33
  • separator
  • 0
  • comentários

O presidente do Fluminense, Mário Bittencourt, completa nesta quarta-feira a marca de 100 dias de gestão à frente do clube. Em uma apresentação do que já conseguiu fazer, realizada logo após o treinamento do time no CT Pedro Antônio, no Rio de Janeiro, o dirigente revelou o quanto o time das Laranjeiras recebeu da Fiorentina, da Itália, pela venda do atacante Pedro no início deste mês: 8 milhões de euros (R$ 36,5 milhões, na cotação da época da negociação).

"Para valores de mercado, consideramos uma venda muito boa. Além de que o clube vive uma grave crise financeira, então não podemos perder mais jogadores mais para frente por motivos jurídicos. A dívida do clube é muito grande, então vamos ter que continuar a fazer essas vendas. Nosso objetivo é que lá na frente a situação esteja melhor para que possamos fazer essas vendas com menos frequência", explicou.

A Fiorentina desembolsou um total de 11 milhões de euros (R$ 50,2 milhões) pela compra de Pedro. Deste valor, o Fluminense ficou com oito milhões e o restante (R$ 13,7 milhões) com a Artsul, clube-empresa de Nova Iguaçu (RJ) que dividia de forma igualitária (50% a 50%) os direitos econômicos do jogador de 22 anos.

O negócio ainda poderá render uma quantia futura ao Fluminense. Isso porque o clube italiano concordou com a exigência do time das Laranjeiras de manter 20% dos direitos econômicos do centroavante. Fluminense e Artsul acordaram dividir o valor obtido em uma futura venda.

"Recebemos a informação de que no ano passado o clube recebeu uma proposta de 18 milhões de euros e o Fluminense teria direito a metade desse valor. Ele se machucou e o negócio acabou não acontecendo. Quando chegamos, colocamos uma condição: queríamos um valor sobre a nossa parte e uma porcentagem para venda futura. Queríamos pelo menos 8 milhões de euros. E conseguimos. Nós ficamos com 8 milhões de euros pela nossa parte e o Artsul ficou com 3 milhões de euros. O Artsul aceitou ficar com uma parte menor pelos seus 50%. Além disso, ficamos com 20% dos direitos econômicos para lucrar com uma futura venda. E lá na frente dividiremos o valor com o Artsul", completou Mário Bittencourt.

MERCADO

O clube oficializou nesta quarta-feira as contratações do zagueiro Luccas Claro, que se destacou no Coritiba e estava no futebol turco, e do lateral-esquerdo Orinho, do Santos. A dupla, que já treinava com o restante do elenco nesta semana, assinou contrato com o Fluminense até o final de 2020.

"Chegar no Fluminense é um sonho realizado. Estou muito feliz, mas tenho que trabalhar muito para esse sonho ter sucesso. Venho para ajudar, somar, trabalhar forte e me dedicar. O grupo é bem qualificado e espero ajudar com a minha experiência para que a gente possa comemorar nossos objetivos no final do ano", disse o zagueiro.

"Sensação muito boa. A recepção na minha chegada dos jogadores, da comissão técnica, de todo mundo, foi muito especial. Espero retribuir esse carinho dentro de campo, ajudar a equipe a ganhar jogos, subir na tabela. Estou muito feliz", afirmou o novo lateral-esquerdo do clube tricolor.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade