PUBLICIDADE
Logo do

Fluminense

Meu time

Com três votos contrários, Conselho Deliberativo do Fluminense aprova contas de 2020

Reunião aconteceu por videoconferência e contou com o voto de 40 conselheiros; exercício terminou com déficit de R$ 2,9 milhões

23 set 2021 13h40
| atualizado às 13h40
ver comentários
Publicidade

O Conselho Deliberativo do Fluminense aprovou, na noite da última quarta-feira, as contas de 2020. A reunião aconteceu por videoconferência e começou com 74 conselheiros, mas terminou só com 40, que analisaram o exercício do primeiro ano da pandemia da Covid-19. A aprovação se deu com 37 votos a favor e só três contrários. O Conselho Fiscal já havia emitido parecer favorável.

Mário Bittencourt, presidente do Fluminense, está no comando desde 2019 (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)
Mário Bittencourt, presidente do Fluminense, está no comando desde 2019 (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)
Foto: Lance!

Com um prejuízo de R$ 9,3 milhões em 2019, o clube fechou 2020 com um déficit menor, de R$ 2,9 milhões. No entanto, este foi o quinto ano seguido que o Fluminense encerrou no vermelho. A dívida total subiu de R$ 718,8 milhões para R$ 768,8 milhões.

- Passado tanto tempo, se faz muito importante lembrar a situação em que nos encontrávamos quando essas contas foram fechadas. Nos encontrávamos em um ambiente muito sensível, carente de estabilidade e de resgate de valores profundos da identidade tricolor, como credibilidade e empatia. Apresentar demonstrações financeiras de forma transparente e detalhada é parte desse esforço de resgate de nossa identidade. Estamos e estaremos neste trabalho de reconstrução pelos próximos anos. Nosso norte é e será sempre o melhor para o Fluminense, que é maior do que todos nós - disse o presidente Mário Bittencourt na reunião.

Em nota, o Fluminense ressalta a "redução de 27% da receita líquida, motivada principalmente pelo adiamento do início do Campeonato Brasileiro de 2020 (uma grande parte da verba da TV Globo foi reconhecida apenas em 2021). Outro fator determinante para o resultado foi a ausência de público nos estádios, impedindo, com isso, a entrada de receita de bilheteria".

Mesmo longe dos estádios, entretanto, a torcida tricolor ajudou o balanço financeiro do Fluminense. Isso porque, o clube teve um aumento de 97% da receita com sócio torcedor e redução de 44% dos gastos com jogos. A renegociação com a Procuradoria Geral da Fazenda Nacional (PGFN) foi outro motivo de geração de ganho, por meio do perdão de parte dos juros e multa dos impostos incluídos no parcelamento, com uma redução de 48% nas despesas financeiras. O acordo com PGFN, feito em dezembro de 2019 - com pagamento de 33 milhões de reais em impostos - garantiu juros inferiores.

Lance!
Publicidade
Publicidade