0

Flamengo, por enquanto, silencia sobre os três convocados

Diretoria do clube prevê dificuldades com a Seleção brasileira ao longo do ano

11 mar 2020
12h16
atualizado às 18h01
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Foto: Marcelo de Jesus/Raw Image / Estadão Conteúdo

A vitória sobre o Botafogo, na última rodada do Carioca, deixou o Flamengo a um passo de garantir sua classificação à semifinal da Taça Rio, o segundo turno da competição. Isso pode ter pesado para que a diretoria do clube tenha mantido, até agora, silêncio sobre o número de seus jogadores convocados para os dois primeiros jogos da Seleção brasileira em 2020: Everton Ribeiro, Gabigol e Bruno Henrique.

Somam-se a eles o desfalque de Arrascaeta, chamado pelo escrete uruguaio. Se a apresentação desse quarteto se der no dia programado pelas duas seleções, todos vão ficar fora das duas rodadas finais da fase classificatória da Taça Rio – que coincidem com o período dos compromissos de Brasil e Uruguai pelas eliminatórias do Mundial de 2022.

O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, já declarou, em fevereiro, que não aceitaria ver seu time prejudicado por convocações da Seleção brasileira. O próximo capítulo desse enredo, que está apenas começando, deve se dar no final de maio, quando o técnico Tite divulgará o nome dos relacionados para a disputa da Copa América – que será realizada de 12 de junho a 12 de julho na Argentina e na Colômbia.

Ali, os convocados para a Seleção, em atividade no Brasil, devem desfalcar seus times no Brasileiro por dez rodadas. Dependendo do vier na lista de Tite, o Flamengo tomará alguma atitude, podendo mesmo criar dificuldades para liberar seus jogadores. O clube não quer correr o risco de perder pontos importantes na competição nacional por causa de um torneio sem glamour, com uma Seleção que já faz tempo perdeu seu brilho e sua originalidade.

Fonte: Silvio Alves Barsetti
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade