0

Brasil x Chile divide atenções de entrevista da Costa Rica

28 jun 2014
16h36
atualizado às 16h59
  • separator
  • 0
  • comentários

A Arena Pernambuco recebeu na tarde deste sábado a protocolar entrevista pré-jogo que ocorre na véspera de cada partida da Copa do Mundo. O estádio recebe no domingo o duelo entre Costa Rica e Grécia, pelas oitavas de final, mas durante o encontro entre o técnico Jorge Luís Pinto e o meia Michael Barrantes com os jornalistas, a atenção de muitos no local estava dividida entre Recife e Belo Horizonte.

<p>Classificação do Brasil às oitavas de final dividiu atenções na Arena Pernambuco</p>
Classificação do Brasil às oitavas de final dividiu atenções na Arena Pernambuco
Foto: Jefferson Bernardes / VIPCOMM

Quer acompanhar as notícias e jogos da sua seleção? Baixe nosso app. #TerraFutebol

Isto porque a entrevista começou às 15h30 (de Brasília), ao mesmo tempo em que o Brasil disputava o segundo tempo da prorrogação contra o Chile, pelas oitavas de final, e seguiu enquanto a Seleção eliminava os rivais sul-americanos em decisão por pênaltis no Mineirão.

A primeira pergunta da entrevista, feita pelo mestre de cerimônias da Fifa, já citava a situação. "É um jogo complicado para o Brasil. Acho que o Chile é um grande rival e o Brasil está em casa, precisa mostrar o melhor de si. Estão na prorrogação, ou seja, o Chile fez o jogo deles", respondeu Barrantes.

Enquanto isso, jornalistas se alternavam entre anotar o que era dito pela dupla costarriquenha e acompanhar como fosse possível a disputa de pênaltis que se iniciava. Alguns assistiam transmissões ao vivo em seus notebooks, enquanto outros recorriam às narrações minuto a minuto. Um repórter brincou com os voluntários perguntando se o aparelho para escutar a tradução simultânea também funcionaria para ouvir a partida.

Era possível notar comemorações e lamentos contidos a cada cobrança de penalidade. Até mesmo a equipe responsável pela tradução simultânea da entrevista demonstrou que estava atenta ao jogo, já que mudava o tom de voz quando os pênaltis eram batidos. No momento em que Jara acertou a trave e decretou a classificação brasileira, era clara a felicidade do tradutor.

Enquanto isso, o técnico Jorge Luis Pinto continuava a falar sobre seu jogo e deu mostras de que não quer repetir o caminho do Brasil. "Sobre os pênaltis, trabalhamos isso, mas não estamos só pensando o pênalti. Estamos pensando também na questão tática para aproveitar a vantagem que podemos explorar", afirmou o treinador, já com a atenção plena dos jornalistas.

Fonte: Terra
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade