PUBLICIDADE

Fortaleza sofre com mais um pênalti não marcado em Itaquera

Mesmo na casa do Corinthians, time cearense joga melhor e tem motivo para sair na bronca com a arbitragem

27 set 2023 - 00h00
Compartilhar
Exibir comentários
Árbitro uruguaio chegou a anular gol do Fortaleza, mas acabou corrigido pelo VAR
Árbitro uruguaio chegou a anular gol do Fortaleza, mas acabou corrigido pelo VAR
Foto: Gazeta Press

Uma semana atrás, a CBF afastou a equipe de arbitragem comandada por Wilton Pereira Sampaio devido ao pênalti não marcado para o Grêmio na Neo Química Arena, quando Yuri Alberto interceptou uma bola com a mão dentro da área. Agora, mesmo com árbitros da Conmebol, mais um time deixa o estádio com motivo para reclamar de ter sido prejudicado contra o Corinthians.

Pelo jogo de ida da semifinal da Copa Sul-Americana, o Fortaleza saiu à frente no placar em cabeçada de José Welison. O árbitro uruguaio Esteban Ostojich anulou o gol por enxergar falta inexistente em Fábio Santos, mas, assim como no polêmico duelo entre Palmeiras e River Plate pela Libertadores de 2021, acabou salvo pelo VAR.

Aos 33 minutos da etapa inicial, o lateral Bruno Pacheco botou na frente e alcançou a bola primeiro que Gil, que o atingiu com a perna, na altura do joelho, dentro da área. Tanto Ostojich como o árbitro de vídeo ignoraram a penalidade cometida pelo zagueiro corintiano.

Empurrado por mais de 42.000 torcedores, o Corinthians empatou aos 40 minutos: Fagner escapou da pressão no campo defensivo, Renato Augusto achou o passe em profundidade e Yuri Alberto acertou um belo chute cruzado. Dois minutos depois, Marinho desabou dentro da área após carrinho de Fábio Santos e pediu pênalti – esse, sim, corretamente ignorado pela arbitragem, já que o atacante do Fortaleza se joga antes do contato.

No segundo tempo, o time cearense dosou o ritmo, mas criou as melhores oportunidades, sobretudo com Pikachu, que entrou bem no jogo substituindo o lesionado Marinho. Mais organizada em campo, a equipe de Juan Pablo Vojvoda comprovou sua superioridade coletiva sobre o Corinthians de Vanderlei Luxemburgo, que segue dependente de individualidades como Fagner, Renato Augusto e Yuri Alberto.

Apesar do erro de arbitragem em momento crucial da partida, quando poderia ter aberto 2 a 0 de vantagem, o Fortaleza sai com a sensação de dever cumprido pelo empate em Itaquera. Foi mais agressivo e terminou o jogo com mais finalizações que o Corinthians. Sai na bronca por um pênalti não marcado, mas ainda mais otimista por decidir em casa a vaga em uma inédita decisão continental.

Fonte: Breiller Pires Breiller Pires é jornalista esportivo e, além de ser colunista do Terra, é comentarista no canal ESPN Brasil. As visões do colunista não representam a visão do Terra.
Compartilhar
Publicidade
Publicidade