PUBLICIDADE
Logo do

Ceará

Favoritar Time

Wendel quer ser "novidade" da finalíssima da C. do Nordeste

8 abr 2014 - 19h14
Ver comentários
Publicidade

O volante Wendel foi confirmado na equipe titular do Sport pelo treinador Eduardo Baptista, que decidiu escalar um time bastante experiente para a decisão da Copa do Nordeste, neste quarta-feira, a partir das 22h, diante do Ceará. Além dele, os rubro-negros terão também a volta do atacante Felipe Azevedo, que conhece bem a Arena Castelão, pois teve passagens importantes pelo futebol cearense.

Para Wendel, é “uma oportunidade de permanecer no time e conquistar mais um título, o 15º título na minha carreira”. Com poucas oportunidades na equipe titular, o volante aparece na hora decisiva e fez questão de lembrar o título da Copa do Brasil de 2003, quando o zagueiro Gladstone foi escalado para a final pelo treinador Wanderley Luxemburgo e acabou aparecendo não só para a torcida cruzeirense, como para todo o Brasil.

Experiente, Wendel conta que irá disputar o 15º título da sua carreira
Experiente, Wendel conta que irá disputar o 15º título da sua carreira
Foto: Eduardo Amorim / Brisa Comunicação e Arte - Especial para o Terra

“Por um lado é complicado entrar após uma lesão de um companheiro, até porque o Ananias fez praticamente a competição toda, mas eu aprendi com o Wanderley que na foto do último jogo vai ter sempre um desconhecido, foi assim no Cruzeiro da Copa do Brasil”, lembrou o jogador, registrando que quando atuava no Bordeaux, da França, marcou 43 gols em cinco temporadas jogando na mesma função que fará na finalíssima (tendo responsabilidade na defesa, mas também chegando ao ataque pela esquerda).

Com a bola em jogo, Wendel espera ajudar o Sport a aumentar o tempo de posse de bola, que foi a grande dificuldade do time na vitória conquistada na Ilha do Retiro. Mas nas bolas paradas ele pode aparecer ainda mais, já que vem demonstrando estar muito bem neste quesito nos treinamentos. E ele garante que não vai ter problemas com o centroavante Neto Baiano, que vem cobrando as faltas do time: “com jeitinho não é com Neto, ele é mais força e brutalidade. Eduardo já passou direitinho o que a gente tem que fazer”, diz o volante, confiante que será o responsável por bater as faltas próximas à área.

“Tendo oportunidade de fazer um gol eles vão ter que fazer quatro, então nossa melhor defesa é defender com cautela e atacar quando tiver oportunidade. Então temos que usar bastante a experiência, cadenciar e num contra-ataque ou numa bola parada... Nossa equipe sempre faz gols e são raras as partidas em que saímos sem marcar um gol”, garante Wendel. Se o Ceará der oportunidade, o volante pode colocar seu nome na história do Sport numa cobrança de falta.

Fonte: Brisa Comunicação e Arte - Especial para o Terra Brisa Comunicação e Arte - Especial para o Terra
Publicidade
Publicidade