7 eventos ao vivo
Logo do Seleção Brasileira
Foto: terra

Seleção Brasileira

Em seu 100º jogo na Seleção, Neymar tenta dar volta por cima

Brasil enfrenta Senegal no Estádio Nacional de Cingapura, nesta quinta-feira (10)

8 out 2019
14h14
atualizado às 14h16
  • separator
  • 0
  • comentários

Desde que despontou na Seleção Brasileira em 2010, o atacante Neymar não teve um ano tão improdutivo na equipe como agora, em 2019. Como ainda há quatro amistosos do Brasil até o fim do ano, tem a chance de se recuperar. Essa retomada pode vir já nesta quinta (10), quando ele completará 100 jogos com a camisa da Seleção principal – o adversário será Senegal, no Estádio Nacional de Cingapura, na Ásia.

Neymar comemora gol contra a Colômbia, em amistoso no dia 06/09/2019
Neymar comemora gol contra a Colômbia, em amistoso no dia 06/09/2019
Foto: Steve Mitchell-USA TODAY Sports / Reuters

Ao lado de Firmino e provavelmente de Gabriel Jesus e Philippe Coutinho, Neymar deve ter todas as condições de aumentar sua artilharia na Seleção – muito tímida em 2019, com apenas um gol, em que pese ele ter atuado em apenas três jogos.

O jogador criado no Santos, decolou no Barcelona e hoje tenta recuperar o prestígio no PSG, para onde foi transferido em 2017 com toda pompa e não rendeu o esperado. Pela Seleção, marcou 61 vezes e está próximo de deixar Zico (66) e Ronaldo Fenômeno (67) para trás, o que o tornaria o segundo maior artilheiro da história da Seleção, atrás apenas de Pelé, autor de 95 gols.

Em seus dez anos de Seleção, Neymar só trabalhou com técnicos gaúchos, Mano Menezes, Luiz Felipe Scolari, Dunga e Tite, e se saiu muito bem com os dois primeiros. Nos cinco anos iniciais na equipe, o atacante rendeu muito mais, fazendo 42 gols. Seu rendimento cairia nitidamente a partir de 2015. Isso é comprovado pela quantidade de gols marcados nos cinco últimos anos pela Seleção - somente 19 gols.

Essa ‘baixa’ tem a ver também com seguintes lesões que o afastaram por vários jogos nessa segunda metade de sua trajetória pela Seleção.

Veja também:

Fonte: Silvio Alves Barsetti
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade