PUBLICIDADE

Basquete

Brasil sofre com bolas de três, perde para a Venezuela na semifinal do Pan-Americano e vai disputar o bronze

3 nov 2023 - 22h25
(atualizado às 22h55)
Compartilhar
Exibir comentários

Nesta sexta-feira, a Seleção Brasileira masculina de basquete perdeu para a Venezuela por 84 a 77, pela semifinal dos Jogos Pan-Americanos. O Brasil sofreu com bolas de três no início do jogo, esboçou uma reação no segundo tempo, mas já era tarde demais para evitar a derrota. Agora, a Seleção enfrenta o México na disputa pelo bronze. A Venezuela encara a Argentina na briga pelo ouro.

Os cestinhas da partida foram o brasileiro Guilherme Pereira e o venezuelano Yohanner Sifontes, ambos com 22 pontos. Pelo lado do Brasil, Gabriel Jaú também se destacou com 16 pontos.

Na fase de grupos, Brasil e México se enfrentaram e os brasileiros levaram a melhor, pelo placar de 74 a 54. Porto Rico e Chile também foram superados pela Seleção, que se classificou em primeiro lugar do grupo, com 100% de aproveitamento.

Na semifinal, porém, os brasileiros não conseguiram replicar as boas atuações anteriores e acabaram derrotados. No início da partida, a atuação das duas equipes foi muito diferente. O Brasil pediu tempo já nos primeiros minutos depois de estar perdendo por 13 a 4, com muitos erros. A pausa não surtiu efeito e os venezuelanos venceram o primeiro quarto por 25 a 15.

No segundo quarto, o jogo seguiu muito parecido, com a Venezuela certeira nas bolas de três e forçando o Brasil a arriscar de fora do perímetro, sem sucesso. Do lado da Seleção faltou criatividade e plano de jogo para penetrar e chegar no garrafão, sem precisar arriscar os chutes de três, que não estavam caindo. Seguindo o plano de jogo, a Venezuela aumentou a vantagem e foi para o intervalo vencendo por 56 a 37.

O intervalo fez bem para o Brasil, que conseguiu reagir e venceu o terceiro quarto por 20 a 14, para diminuir a desvantagem para 70 a 57. O grande destaque foi o ala-pivô Gabriel Jaú, que liderou o time ofensivamente. Diferentemente do primeiro tempo, a Seleção conseguiu evitar os arremessos de três forçados e pontuou no garrafão, além de defender as chegadas venezuelanas.

Com a reação, a equipe brasileira foi para o último quarto muito confiante, enquanto a Venezuela viu seu aproveitamento cair mais da metade em relação ao primeiro tempo. Acertando as bolas de três que não estavam entrando e defendendo de forma consistente, o Brasil chegou a diminuir a desvantagem para apenas quatro pontos, mas com pouco tempo restante, a Venezuela gastou o relógio e aproveitou lances livres para sacramentar a vitória.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Compartilhar
Publicidade
Publicidade