PUBLICIDADE

Wolff dispara contra CEO da McLaren e chefe da Red Bull: "Só espalham merda"

Toto Wolff anda polêmico: desta vez, o chefe da Mercedes usou palavras duras, e rápidas, para falar de Christian Horner e Zak Brown

6 abr 2021
08h57 atualizado às 10h39
0comentários
08h57 atualizado às 10h39
Publicidade
Toto Wolff e Christian Horner
Toto Wolff e Christian Horner
Foto: F1 / Grande Prêmio

Toto Wolff está falante e, na mesma semana em que disse ter "perdido o respeito por personagens da Fórmula 1″, resolveu criticar, mas desta vez nominalmente, outros dois: Zak Brown, CEO da McLaren, e Christian Horner, chefe da Red Bull.

Para o comandante da Mercedes, seus adversários gostam de falar demais. Foi o que declarou em entrevista ao jornal austríaco Österreich quando questionado sobre os comentários de Brown, que afirmou "ser óbvio" que Max Verstappen e George Russell formarão a dupla da equipe alemã em 2022.

"Brown é como Christian Horner, eles só espalham merda. Acho que Zak quer andar junto a Christian, mas não me importo com isso", disse Wolff sobre o CEO da McLaren.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube! .

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram!

Toto Wolff anda falante
Toto Wolff anda falante
Foto: Mercedes / Grande Prêmio

Não foi o único tema polêmico abordado: o austríaco também foi questionado sobre supostamente Lewis Hamilton e Russell não conversarem mais desde que o segundo substituiu o heptacampeão do mundo em Sakhir, no ano passado.

Tal situação, inclusive, foi levantada pelo próprio piloto da Williams, no final de março, quando perguntado sobre: "Não, nada. Mas nossa relação é boa, não há problemas. Não sei se esperava que ele falasse comigo após a corrida. Mas é aquilo: não sei como me sentiria se alguém me substituísse na Williams."

Wolff respondeu sobre a relação dos seus pilotos. "É a primeira vez que ouço isso. Mas a condição dos meus pilotos é a última das minhas preocupações. Mas posso imaginar isso porque a competição entre os dois é muito forte. Os grandes sentem quando um cara bom está chegando. E George é a próxima geração", comentou.

Os dirigentes mais influentes da Fórmula 1 nos últimos 30 anos
" alt="">
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade