1 evento ao vivo

Racing Point diz que quebra na embreagem evitou largada de Hülkenberg na Inglaterra

De acordo com o chefe Otmar Szafnauer, a Racing point descobriu que uma quebra de parafuso na embreagem do carro de Nico Hülkenberg impediu que o motor ligasse

2 ago 2020
17h16
atualizado às 18h52
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Nico Hülkenberg não conseguiu ligar o carro e ir para o grid
Nico Hülkenberg não conseguiu ligar o carro e ir para o grid
Foto: Reprodução/F1 / Grande Prêmio

Um parafuso quebrado que bloqueou o motor de combustão de interna. Foi esse o motivo que fez Nico Hülkenberg nem sequer largar para o que seria seu retorno à Fórmula 1, no GP da Inglaterra deste domingo. A explicação foi do chefe da Racing Point, Otmar Szafnauer.

Hülkenberg, claro chegou às pressas na sexta-feira para substituir Sergio Pérez, que testou positivo para o novo coronavírus. Após classificar na 13ª colocação no sábado, num carro totalmente desconhecido, esperava ganhar posições durante a prova. Entretanto, um problema minutos antes da largada acabou com os planos.

"Parece que um parafuso quebrou dentro da carcaça da embreagem, essa quebra não permitia que o motor de combustão interna fosse ligado. Então, onde o parafuso caiu, ficou preso e não conseguimos ligar o motor", explicou Szafnauer à revista inglesa 'Autosport'.

"É meio cedo para entender o motivo mas, como quebrou, pode ser uma questão material, pode ser alguma coisa de torque além do que o motor suporta, não sei. Tenho certeza que todos esses parafusos contam com uma especificação de torque, então, digamos que as contas sobre esse torque específico estão erradas e você vai além da conta. Poderia quebrar", imaginou.

"Pode ser uma questão material da fabricação, mas até fazermos uma análise mais profunda, não saberemos a causa de como consertar", comentou. Apesar de esperar descobrir o motivo da quebra somente nos próximos dias, a Racing Point já se isenta da culpa. "Não é uma parte da Racing Point, é algo que da HPP [High Performance Powertrains] ou da Mercedes", confirmou.

Por fim, é lamentou o fato de não poder ver o alemão em ação após os dias de corre-corre. "Seria muito útil ver Nico numa corrida. Infelizmente, não deu. Ele fez um ótimo trabalho chegando, começando do zero, sem testes de pré-temporada, sem conhecer o carro. É um carro diferente do que ele guiou na F1, outro motor. A equipe é parecida [aos tempos em que esteve na Force India], mas seu engenheiro é outro, seu antigo engenheiro está com Lance. O resto dos caras ele já conhecia, então foi um grande trabalho. Foi uma curva de aprendizado aguda. É uma pena que não tenha corrido", finalizou.

Como as regras do governo do Reino Unido ordenam dez dias de quarentena após o primeiro teste positivo da Covid-19, Pérez provavelmente seguirá fora na corrida da próxima semana, na mesma Silverstone, no GP dos 70 anos. Hülkenberg será o substituto, caso a expectativa se confirme.

Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade